Casos de coronavírus crescem mais de 20% ao dia na Itália

Restrições à circulação ainda não conseguiram conter epidemia

Passageiros se protegem contra coronavírus em estação ferroviária de Nápoles, sul da Itália
Passageiros se protegem contra coronavírus em estação ferroviária de Nápoles, sul da Itália (foto: ANSA)
15:46, 09 MarSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - Apesar das medidas de restrição à circulação impostas pelo governo da Itália, a epidemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) ainda não dá sinais de estar perto do fim.

Desde 28 de fevereiro, quando a Defesa Civil passou a divulgar apenas um balanço por dia, a taxa de crescimento do número de casos apresenta uma média diária de 26,54%. Entre 8 e 9 de março, o total de contágios saltou 24,37%.

Em 28 de fevereiro, a Itália contabilizava 888 casos do novo coronavírus, mas a cifra cresceu para 9.172 (+933%) em apenas 10 dias. No mesmo período, o número de mortos subiu de 21 para 463 (+2.105%), enquanto a quantidade de pessoas curadas passou de 46 para 724 (+1.474%).

 

"A Itália está adotando medidas agressivas, e esperamos ver os resultados nos próximos dias", declarou o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, nesta segunda-feira (9).

Já o líder da oposição, Matteo Salvini, defendeu que todo o país seja transformado em uma "zona vermelha", ou seja, isolada do restante do mundo.

"Hospitais em colapso, contágios em alta, rebeliões e fugas nas prisões, queda na Bolsa, economias perdidas... É preciso colocar o país em segurança, estendendo as medidas de emergência sanitária da chamada 'zona vermelha' para todo o território nacional", declarou.

Medidas

No último domingo (8), o primeiro-ministro Giuseppe Conte assinou um decreto que restringe a circulação na Lombardia e em 14 províncias de outras quatro regiões: Pádua, Treviso e Veneza, no Vêneto; Modena, Parma, Piacenza, Reggio Emilia e Rimini, na Emilia-Romagna; Pesaro e Urbino, em Marcas; e Alessandria, Asti, Novara, Verbano-Cusio-Ossola e Vercelli, no Piemonte.

Essa área abriga 16,7 milhões de habitantes, de acordo com números do Instituto Nacional de Estatística (Istat), o que equivale a 27,75% da população da Itália. A polícia já começou a fazer controles em aeroportos, estações de trem e rodovias, e um casal de Parma foi denunciado por tentar embarcar para férias em Madri, na Espanha.

 

Bares e restaurantes das áreas afetadas só poderão abrir das 6h às 18h, e sob a condição de garantir distância mínima de um metro entre os frequentadores. Quem não respeitar as normas pode ter a atividade suspensa.

Além disso, cerimônias de casamento e funeral estão proibidas. O texto também prevê algumas medidas de alcance nacional, como o fechamento de teatros, cinemas e museus, a proibição de deslocamento para pessoas em quarentena (inclusive domiciliar) e a recomendação para indivíduos com febre superior a 37,5ºC ficarem em casa, independentemente de terem o novo coronavírus ou não.

Quem violar as normas do decreto estará sujeito a penas de até três meses de prisão e multa de 206 euros. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA