Itália cria formulário para quem vai se deslocar em áreas isoladas

Governo restringiu acessos na Lombardia e em 14 províncias

Controle das forças de segurança na Estação Central de Milão (foto: ANSA)
14:29, 09 MarROMA ZLR

(ANSA) - O Ministério do Interior da Itália disponibilizou nesta segunda-feira (9) um formulário para aqueles que pretendem entrar ou sair das áreas colocadas em isolamento pelo governo no último domingo (8) devido à epidemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

A medida vale até 3 de abril e engloba toda a Lombardia e 14 províncias de outras quatro regiões: Pádua, Treviso e Veneza, no Vêneto; Modena, Parma, Piacenza, Reggio Emilia e Rimini, na Emilia-Romagna; Pesaro e Urbino, em Marcas; e Alessandria, Asti, Novara, Verbano-Cusio-Ossola e Vercelli, no Piemonte. Essa área abriga 16,7 milhões de habitantes, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (Istat), ou 27,75% da população da Itália.

No formulário, o interessado deve indicar seus dados pessoais, lugares de origem e de destino e os motivos da viagem. O módulo apresenta apenas quatro razões para justificar o deslocamento: "comprovadas exigências de trabalho, situações de necessidade, motivos de saúde ou retorno ao próprio domicílio".

A polícia começou nesta segunda-feira a fazer controles em aeroportos, estações de trem e rodovias, e um casal de Parma foi denunciado por tentar embarcar para férias em Madri, na Espanha. A Estação Central de Milão, principal hub ferroviário do norte da Itália, registrou longas filas de viajantes que precisavam preencher o formulário, apesar do pouco movimento.

De acordo com o Ministério do Interior, os aeroportos das áreas em isolamento submeterão os passageiros a controles, mas o módulo de certificação será exigido - no caso de voos internacionais - apenas para os moradores da Lombardia e das 14 províncias da chamada "área laranja". Já quem estiver chegando nesses territórios terá de explicar o motivo da viagem.

 

Restrições

O primeiro-ministro Giuseppe Conte disse no domingo que o decreto não impõe uma "proibição absoluta aos deslocamentos", mas determina que será preciso "justificá-los".

"Não vamos parar tudo, mas vamos entrar na lógica de que há regras a serem respeitadas", declarou. Bares e restaurantes das áreas afetadas só poderão abrir das 6h às 18h, e sob a condição de garantir distância mínima de um metro entre os frequentadores. Quem não respeitar as normas pode ter a atividade suspensa.

Além disso, cerimônias de casamento e funeral estão proibidas. As 11 cidades que já estavam em isolamento, que ficam na Lombardia e no Vêneto, se adequarão às regras do novo decreto.

O texto também prevê algumas medidas de alcance nacional, como o fechamento de teatros, cinemas e museus, a proibição de deslocamento para pessoas em quarentena (inclusive domiciliar) e a recomendação para indivíduos com febre superior a 37,5ºC ficarem em casa, independentemente de terem o novo coronavírus ou não. Quem violar as normas do decreto estará sujeito a penas de até três meses de prisão e multa de 206 euros.

O Sars-CoV-2 já infectou ao menos 7.375 pessoas na Itália, segundo balanço divulgado neste domingo (8) pela Defesa Civil, sendo que 366 pacientes morreram. Do total de 6.387 casos ainda ativos, 2.180 indivíduos estão em isolamento domiciliar; 3.557 estão internados com sintomas; e 650 foram levados para terapia intensiva.

A Lombardia e as 14 províncias isoladas concentram mais de 80% do total de casos confirmados no país, que é o terceiro mais atingido pela epidemia, atrás apenas da China (81 mil casos) e da Coreia do Sul (7,5 mil). (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA