Número de casos de coronavírus na Itália passa de 10 mil

País registrou 631 mortes, um aumento de 168 vítimas

Mulher com uma máscara de proteção andando pela ruas de Roma, na Itália (foto: ANSA)
15:13, 10 MarROMA ZRS

(ANSA) - A Defesa Civil da Itália anunciou nesta terça-feira (10) que o número de mortos em decorrência da epidemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) subiu para 631, um aumento de 168 vítimas em relação ao último balanço divulgado pelas autoridades do país.

Segundo o chefe da Proteção Civil da Itália, Angelo Borrelli, a quantidade de pessoas contaminadas pela doença subiu mais 529, tendo no total 8.514 casos ativos de infecções pela Covid-19.

Ao todo, o coronavírus já infectou 10.149 pessoas, incluindo 1.004 indivíduos que se recuperaram da doença, um aumento de 280 em relação ao balanço anterior da Defesa Civil. Atualmente, há 877 pacientes em terapia intensiva.

Ainda segundo Borrelli, grande parte das 168 novas vítimas da doença tinha entre 60 e 89 anos de idade, e sofria de outros problemas de saúde.

Já entre as regiões italianas, a mais atingida pelo coronavírus segue sendo a Lombardia, localizada no norte do país, com 5.791 casos positivos.

Atrás da Lombardia, principal polo financeiro e industrial do país, está a Emilia-Romagna, também no norte da Itália, que soma no total 1.533 casos confirmados. Ela é seguida por Vêneto (856), Piemonte (453), Marcas (394), Toscana (264), Lazio (116), Campânia (127), Ligúria (141), Friuli Veneza Giulia (116), Trentino-Alto Ádige (90), Sicília (62), Puglia (59), Abruzzo (38), Umbria (37), Sardenha (20), Vale de Aosta (17), Molise (15), Calábria (13) e Basilicata (7).

Nesta segunda-feira (9), o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, editou um decreto que restringiu deslocamentos por todo o país e evitar agloremações em lugares públicos. Os cidadãos só podem se locomover por "comprovadas exigências de trabalho, situações de necessidade, motivos de saúde ou retorno ao próprio domicílio".

Partidas de futebol, por exemplo, estão proibidas na Itália, com exceção dos jogos da Liga dos Campeões, que serão disputados com portões fechados. Já museus, discotecas, sítios arqueológicos, escolas e universidades foram fechados.

Restaurantes podem abrir das 6h às 18h, desde que garantam distância mínima de um metro entre os clientes.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA