Restrições reduzem poluição no norte da Itália

Imagens de satélite mostram diminuição dos níveis de NO2

Pessoas caminham em parque em Roma após decreto que fechou comércio não-essencial em todo o país
Pessoas caminham em parque em Roma após decreto que fechou comércio não-essencial em todo o país (foto: )
09:47, 12 MarROMA ZLR

(ANSA) - Após as restrições impostas pelo governo da Itália, o nível de poluição no norte do país caiu drasticamente, repetindo algo já constatado na China nas últimas semanas.

Imagens postadas no Twitter por Santiago Gassò, pesquisador da Universidade de Washington e da Nasa, nos Estados Unidos, evidenciam a redução da concentração de dióxido de nitrogênio (NO2), um dos principais marcadores de poluição, na área que engloba a Ligúria, o Piemonte, a Lombardia, o Vêneto e boa parte da Emilia-Romagna.

Essas cinco regiões setentrionais constituem o principal polo industrial e econômico da Itália. As imagens foram feitas pelo satélite Sentinel 5, do programa Copernicus, administrado pela Agência Espacial Europeia (ESA).

Na foto de 14 de fevereiro, é possível ver uma grande mancha vermelha sobre o norte do país, com um foco mais escuro em Milão e seus arredores. Já em 8 de março, primeiro dia de vigência do decreto que restringiu a circulação de pessoas na Lombardia e em 14 províncias de outras quatro regiões, a marca avermelhada aparece consideravelmente mais clara.

Pouco depois, as medidas restritivas do governo italiano seriam estendidas a todo o país: atualmente, só é possível sair de casa para comprar alimentos ou itens de primeira necessidade, por motivos de trabalho ou por razões de emergência.

Além disso, o primeiro-ministro Giuseppe Conte decretou o fechamento do comércio, com exceção de farmácias, bancas, tabacarias, mercados, lojas de bebidas, negócios de itens de higiene pessoal e artigos de iluminação, pet shops, óticas e postos de gasolina. Restaurantes só podem funcionar por delivery.

O dióxido de nitrogênio é um gás emitido pela queima de combustíveis fósseis, e suas principais fontes são indústrias e automóveis. Na China, a concentração da substância chegou a cair 30% no início de março por causa das medidas de isolamento impostas pelo governo.

Até o momento, a pandemia do novo coronavírus já contaminou quase 130 mil pessoas no mundo e matou mais de 4,7 mil. A Itália contabiliza 12.462 contágios e 827 vítimas. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA