Itália transforma pavilhão da Feira de Milão em hospital

Local foi criado para atender emergência do novo coronavírus

Local foi criado para atender emergência do novo coronavírus
Local foi criado para atender emergência do novo coronavírus (foto: ANSA)
19:47, 18 MarMILÃO ZCC

(ANSA) - O governador da Lombardia, Attilio Fontana, anunciou a instalação de um hospital provisório em dois pavilhões da Fiera di Milano para tratar pacientes contaminados com o novo coronavírus (Sars-CoV-2).

A região no norte da Itália continua sendo a mais atingida pela pandemia, com um total de 1.959 mortes, conforme balanço divulgado nesta quarta-feira (18).

"Estamos perto do esgotamento de nossos recursos. Estamos fazendo maravilhas na recuperação de mais de 200 unidades de terapia intensiva em uma semana e meia. Devemos disponibilizar mais 100 unidades de terapia intensiva nos próximos dias. Temos um projeto para criar 400 locais na feira de Milão", explicou Fontana.

Para ajudar o crescente número de pessoas gravemente doentes e que precisam ser hospitalizadas, uma equipe de especialistas, incluído da Proteção Civil, realiza o projeto de emergência. A ideia é disponibilizar leitos de terapia intensiva para entre 400 pacientes infectados com o vírus em um tempo recorde - cerca de 8 a 10 dias.

O custo da instalação será de 10 milhões, aos quais também serão adicionados os valores de suprimentos e camas, segundo o presidente da Fundação Fiera Milano, Erico Pazzali. "Os equipamentos devem vir de todo o mundo, estamos procurando desesperadamente por todos os países", explicou.

De acordo com o governador da Lombardia, é preciso agradecer a Fundação Invernizzi, o executivo Giuseppe Caprotti, o ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi, entre outros doadores que realizaram "intervenções diretas para a construção do hospital na Feira". "Será um ponto de referência para todo o país", finalizou Fontana. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en