Militares se preparam para remover mais corpos em Bergamo

Província está sobrecarregada devido às mortes por coronavírus

Província no norte da Itália também tem sofrido com a escassez de caixões
Província no norte da Itália também tem sofrido com a escassez de caixões (foto: )
15:46, 30 MarBERGAMO ZCC

(ANSA) - Caminhões militares em Bergamo, no norte da Itália, se preparam nesta segunda-feira (30) para remover pelo menos 170 caixões de vítimas do novo coronavírus (Sars-CoV-2) da Lombardia e transferir para outras regiões do país.

Segundo o comandante dos carabineiros, coronel Paolo Storoni, os corpos serão distribuídos para fora da província porque os fornos crematórios do cemitério de Bergamo estão sobrecarregados e não conseguem dar conta de todos os mortos.

A cidade é a segunda mais atingida pela pandemia do novo coronavírus na região da Lombardia, que já totaliza 6.818 mortes e 42.161 casos positivos da Covid-19, conforme revelado no último balanço da Defesa Civil.

No último dia 18 de março, imagens da fila de caminhões militares para transportar os corpos já haviam gerado comoção no mundo inteiro. Além de precisar transferir as vítimas para outros cemitérios, Bergamo também tem sofrido com a escassez de caixões.

Até o momento, a Itália registrou 11.591 mortes pela doença, enquanto o número de contágios no país chegou a 101.739. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA