Toscana pede que pessoas com Covid-19 busquem médicos

Cerca de 3,5 mil pessoas estão com os sintomas da doença

USCA vem sendo usada em outras cidades italianas
USCA vem sendo usada em outras cidades italianas (foto: ANSA)
12:11, 07 AbrFLORENÇA ZGT

(ANSA) - A região da Toscana, na Itália, emitiu um pedido nesta terça-feira (07) para que todos aqueles que contraíram o novo coronavírus (Sars-CoV-2) e apresentam sintomas leves, fazendo seu tratamento em casa, entrem em contato com a Unidade Especial de Continuidade Assistencial (Usca).

Com isso, elas garantirão o acompanhamento médico diário, transformando um dos quartos de sua casa em uma espécie de "quarto de hospital".

Segundo a decisão do governador Enrico Rossi, os doentes serão acompanhados diariamente pelas equipes de médicos e enfermeiros.

Caso a pessoa se recuse o atendimento, serão os profissionais da saúde que farão a declaração oficial.

"É uma medida de proteção maior para si mesmos e para os outros", destacou Rossi, ressaltando que as Unidades Especiais de Continuidade Assistencial (Usca) são "um tipo de cuidado intermediário mais adequado do que o domicílio, graças ao monitoramento constante e a visita cotidiana de um enfermeiro e de um médico".

Atualmente, a região contabiliza cerca de 3,5 mil pessoas que testaram positivo para a Covid-19 e que estão fazendo o isolamento e o tratamento dentro de suas casas.

Segundo um balanço divulgado nesta manhã pelo governo local, nas últimas 24 horas, houve um aumento de 174 novos casos do novo coronavírus, elevando para 6.173 contaminados na região, e de 19 mortes a mais pela doença - num total de 369 desde o início da pandemia. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA