Itália estuda reabrir parques, bares e restaurantes em 4/5

País está em quarentena desde março devido ao novo coronavírus

Parque Aldo Aniasi  vazio durante feriado em Milão
Parque Aldo Aniasi vazio durante feriado em Milão (foto: ANSA)
16:20, 17 AbrROMA ZCC

(ANSA) - O governo italiano estuda autorizar a reabertura de parques, bares e restaurantes a partir do próximo dia 4 de maio, desde que todos os locais sigam uma série de restrições e medidas protetivas contra a propagação do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

A hipótese foi apurada pela ANSA e está sendo debatida por especialistas responsáveis por apresentar ao governo diretrizes para a reabertura do país em meio a pandemia da Covid-19, que já matou 22.745 pessoas na Itália.

A possibilidade, no entanto, será avaliada pelo Conselho de Ministros também com base nos dados epidemiológicos a serem registrados nas próximas semanas.

O projeto prevê a reabertura de bares e restaurantes desde que os estabelecimentos cumpram as regras de distanciamento social, incluindo o afastamento das mesas e do contato com o balcão, além da proteção individual dos funcionários, em particular, dos garçons, e o uso de espaços ao ar livre.

Em relação aos parques italianos, o estudo permitirá o funcionamento para a prática de atividades físicas e acesso às áreas verdes. No entanto, será preciso tomar medidas de "prudência", como a manutenção do distanciamento social, o uso de máscaras e a proibição de aglomeração.

A iniciativa também pretende permitir a reabertura de quatro atividades econômicas, incluindo os setores de moda, automotivo e metalúrgico, além das fábricas de móveis, a partir de 27 de abril.

Por fim, ainda segundo a apuração da ANSA, existe a possibilidade de um novo decreto em abril autorizar novas contratações de milhares de enfermeiros, na tentativa de cobrir o ônus da assistência domiciliar ligada à pandemia do novo coronavírus.

De acordo com fontes do Palazzo Chigi, sede do governo italiano, "em alguns casos, são hipóteses que não têm base, em outros, ainda são casos que estão sendo estudados e, portanto, não podem ser considerados definitivos".

A Itália está em isolamento social desde o início de março, e o primeiro-ministro Giuseppe Conte já anunciou a extensão da quarentena até 3 de maio, mas algumas atividades comerciais, como livrarias e papelarias, já foram reabertas desde 14 de abril, com exceção de determinadas regiões, como Lombardia e Piemonte.

Nesta semana, inclusive, quatro regiões governadas por forças da oposição a Conte - Lombardia, Vêneto, Piemonte e Sicília - aumentaram a pressão pela reabertura das atividades comerciais e produtivas em 4 de maio, dia seguinte ao término da nova prorrogação do distanciamento social no país. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA