Salvini passa a noite no Senado em protesto contra reabertura

Ex-ministro pede um fim mais rápido do bloqueio na Itália

'Estamos trazendo as vozes dos cidadãos para o Parlamento', disse Salvini
'Estamos trazendo as vozes dos cidadãos para o Parlamento', disse Salvini (foto: ANSA)
14:52, 30 AbrROMA ZRS

(ANSA) - Em meio à pandemia do novo coronavírus, o ex-ministro do Interior da Itália Matteo Salvini e outros senadores do partido de extrema-direita Liga passaram a noite no Senado como forma de protesto pela gradual reabertura do país, que acontecerá a partir do dia 4 de maio.

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, anunciou os detalhes da chamada "fase dois" do combate ao coronavírus no país no último dia 26. Entre as medidas da flexibilização da quarentena, será permitido que a população ande em parques e participe de funerais.

"Estamos trazendo as vozes dos cidadãos para o Parlamento", disse Salvini, pedindo um fim mais rápido ao bloqueio do que uma reabertura gradual. De acordo com o ex-ministro, os senadores levaram em conta os pedidos dos italianos para permanecer no Parlamento "até que respostas concretas sejam recebidas".

"Respostas concretas sobre máscaras e proteção da saúde para todos, auxílio a trabalhadores aos quais foram aplicadas demissões temporárias, dinheiro real para comerciantes e empregadores, soluções para famílias com crianças em casa e escolas fechadas, suspensão real de hipotecas, apoio a aluguéis e contas", escreveu Salvini.

O ex-ministro italiano explicou em uma entrevista à emissora "Telelombardia" que "eles não passaram a noite jogando cartas, mas respondendo perguntas de italianos sobre aluguéis, recibos e hipotecas", já que "ninguém os ajudou".

O líder da Liga só deixou o Senado para ir em casa e tomar um banho, mas explicou que retornará ao Parlamento para pedir ao governo que "seja mais rápido" e "pare de fazer apenas anúncios".

Já o senador Agostino Santillo, do Movimento 5 Estrelas (M5S),afirmou que a ocupação do Parlamento pela Liga durou apenas "duas selfies".

"A ocupação do parlamento pela Liga durou duas selfies e duas cenas. Quando Salvini terminou de falar, elas desapareceram", disse Santillo em seu perfil no Twitter.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA