Itália aprova decreto contra soltura de mafiosos

Criminosos conseguiram regime domiciliar em meio a pandemia

O ministro da Justiça da Itália, Alfonso Bonafede
O ministro da Justiça da Itália, Alfonso Bonafede (foto: ANSA)
14:47, 10 MaiROMA ZLR

(ANSA) - O governo da Itália aprovou na noite deste sábado (9) um decreto-lei (equivalente a uma medida provisória) para tentar reverter a progressão para o regime domiciliar obtida por líderes mafiosos em função da pandemia do novo coronavírus.

A decisão chega após alguns mafiosos que estavam em isolamento total terem conseguido transferência para prisão domiciliar alegando problemas de saúde, como Pasquale Zagaria, da Camorra, e Francesco Bonura, da Cosa Nostra.

O decreto diz respeito a pessoas detidas por "delitos de criminalidade organizada de tipo mafioso ou terrorista" ou por "formação de quadrilha ligada ao tráfico de entorpecentes".

Segundo o ministro da Justiça, Alfonso Bonafede, os juízes poderão "reavaliar os benefícios autorizados por causa da Covid-19", mediante consulta aos órgãos sanitários regionais e ao Departamento de Administração Penitenciária para identificar estruturas adequadas para o detento continuar cumprindo sua pena sem riscos para a saúde.

"Ninguém pode pensar em se aproveitar da emergência sanitária do coronavírus para sair da prisão. A partir de agora, há uma nova norma que coloca ordem na situação", disse o ministro da Justiça, Alfonso Bonafede. 

Além de mafiosos, o ex-terrorista Cesare Battisti, que cumpre pena de prisão perpétua na Sardenha por quatro assassinatos ocorridos na década de 1970, também pediu progressão para o regime domiciliar. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA