Mais de 100 mafiosos receberam renda para pobres na Itália

Valor arrecadado indevidamente deverá ser ressarcido

Valor arrecadado indevidamente deverá ser ressarcido
Valor arrecadado indevidamente deverá ser ressarcido (foto: ANSA)
16:58, 20 MaiROMA ZCC

(ANSA) - Pelo menos 101 criminosos ligados à máfia N'drangheta, da Calábria, solicitaram e receberam cerca de 516 mil euros do governo da Itália graças ao subsídio destinado aos cidadãos mais vulneráveis do país.

A denúncia foi divulgada nesta quarta-feira (20) após a polícia italiana deflagrar a operação "Mala civitas", conduzida pela Guarda de Finanças de Reggio Calábria, que identificou pedidos irregulares do benefício, incluindo o de Alessandro Pannunzi, filho de Roberto Pannunzi, conhecido como o "Pablo Escobar italiano".

Alessandro é casado com a filha de um dos maiores produtores de cocaína da Colômbia. Pannunzi "pai", por sua vez, é considerado um dos homens que estabeleceu os contatos entre Escobar e os mafiosos da Itália para poder levar cocaína até a Europa.

Os promotores de Reggio Calabria, Locri, Palmi, Vibo Valentia e Verbania investigaram mais de 500 pessoas suspeitas de solicitarem a chamada "renda da cidadania", espécie de bolsa família criada pelo governo italiano para tentar reduzir os índices de pobreza no país, no valor de 780 euros.

Em comunicado, as autoridades informaram que os mafiosos devem reembolsar todo o valor arrecadado indevidamente. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA