Mãe pede para ministra da Educação da Itália reprovar filha

Alunos terão aprovação automática por causa de pandemia

A ministra da Educação da Itália, Lucia Azzolina
A ministra da Educação da Itália, Lucia Azzolina (foto: ANSA)
12:06, 21 MaiFLORENÇA ZLR

(ANSA) - A mãe de uma jovem afetada por uma grave forma de autismo lançou um apelo para a ministra da Educação da Itália, Lucia Azzolina, permitir a reprovação de sua filha no atual ano letivo.

Devido à pandemia do novo coronavírus, Azzolina determinou a aprovação automática de estudantes para garantir que eles não sejam prejudicados no próximo ano letivo, que inicia em setembro.

Com isso, a jovem em questão passaria do último estágio do ensino fundamental de uma escola de Prato, na Toscana, para o primeiro do ensino médio, mas sua mãe diz que ela não está pronta para essa etapa.

"Desde 5 de março, todas as relações [educacionais] da minha filha foram interrompidas. Como ela poderia enfrentar a escola superior? As leis não podem ignorar os casos únicos de estudantes com deficiências, para os quais o ensino presencial é insubstituível", disse a mãe ao jornal La Nazione.

"Enquanto a promoção representará uma gratificação para a maior parte dos estudantes, para a minha filha será, paradoxalmente, uma reprovação, já que ela não terá alcançado os objetivos de seu programa educacional personalizado", acrescentou.

Em pronunciamento recente, a ministra da Educação já havia admitido a possibilidade de reprovação para alunos com graves carências no aprendizado. Já os que forem aprovados com notas baixas farão aulas de recuperação em setembro. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA