Itália usará 3 navios para acolher migrantes de Lampedusa

Decisão foi tomada pelo premier em reunião com governantes

Decisão foi tomada pelo premier em reunião com governantes
Decisão foi tomada pelo premier em reunião com governantes (foto: ANSA)
17:50, 02 SetROMA ZCC

(ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, determinou nesta quarta-feira (2) o envio de três novos navios para fazer quarentena de migrantes forçados e refugiados que estão superlotando os centros de acolhimento da ilha de Lampedusa.

A decisão foi tomada durante reunião em Roma com o governador da Sicília, Nello Musumeci, e o prefeito de Lampedusa, Totò Martello, para debater a crise migratória e política com os governos da região.

"Em dois dias, três novos navios de quarentena chegarão a Lampedusa e os migrantes serão transferidos para lá", afirmou Musumeci, no final da cúpula.

De acordo com Conte, as embarcações chegarão na ilha entre quinta (3) e sexta-feira (4) para esvaziar Lampedusa. "Estamos prontos para reforçar a vigilância sanitária dos migrantes para garantir a máxima segurança da população", disse.

O premier explicou que tem consciência das dificuldades que Musumeci está passando e ressaltou a necessidade de estudar "juntos as soluções mais eficazes para enfrentá-las", apesar de que a crise migratória sempre foi complexa. "São necessárias iniciativas em vários níveis e intervenções bem sinérgicas e bem coordenadas".

Durante a conversa também ficou decidido que o governo italiano fortalecerá as patrulhas marítimas, além de intensificar o repatriamento dos migrantes já que o governo da Tunísia acabou de se formar.

A Itália vem registrando uma chegada maior de migrantes nos últimos meses, sendo que a maioria dos estrangeiros partiu da Tunísia - que fica a cerca de 100 quilômetros, em linha reta, de Lampedusa.

"Esperamos fortalecer o programa de repatriação com sistemas mais flexíveis, inclusive o transporte marítimo. Fortalecemos o patrulhamento em águas internacionais, intensificando as unidades navais do Operação Pelage, reiniciada hoje para combater o tráfico ilícito", acrescentou Conte, lembrando que já foi preparado o reforço desta ação, que conta com o envolvimento da Marinha da Itália, Guarda Costeira e Guarda de Finanças.

O premier italiano disse ainda que Lampedusa merece medidas econômicas favoráveis para apoiar as atividades e os cidadãos da ilha. A reunião foi convocada por Conte depois de uma briga que foi parar na Justiça para a alocação dos deslocados que vão para a Itália através do Mar Mediterrâneo.

Apesar das declarações de Conte, o govenador da Sicília reforçou que "as divergências permanecem com o governo, que propôs algumas iniciativas, mas não relacionadas a um calendário, fora de prazos precisos".

"Dissemos que todos os hotspots devem ser esvaziados para estarem de acordo com os regulamentos anti-Covid. O governo está disposto a esvaziar o de Lampedusa, eles creditaram esta intervenção ainda nos próximos dias" finalizou Musumeci. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA