Itália terá embaixada no Mali para reforçar presença no Sahel

Abertura foi aprovada pelo governo no fim de semana

Festa pela independência do Mali, em 22 de setembro
Festa pela independência do Mali, em 22 de setembro (foto: EPA)
17:22, 19 OutROMA ZLR

(ANSA) - O governo da Itália aprovou neste domingo (18) a abertura de uma embaixada em Bamako, capital do Mali, em mais um passo de sua estratégia de fortalecer laços com os países da instável região do Sahel.

A instituição de uma sede diplomática na nação africana foi proposta pelo ministro das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, que disse no Twitter que a medida é "mais um reforço da Itália em um país central do Sahel".

Há quase três anos, Roma já havia inaugurado uma embaixada em Niamey, capital do Níger, vizinho oriental do Mali. O Sahel é uma espécie de cinturão árido que separa a África Subsaariana - de onde sai boa parte dos migrantes forçados que viajam até a Itália - da costa mediterrânea do continente.

Mali é o oitavo maior país da África em área, porém é o 46º em densidade populacional, já que boa parte de seu território é desértico. A nação também abriga células jihadistas ligadas ao Estado Islâmico e é palco de uma operação antiterrorismo da França.

Recentemente, dois italianos - o padre Pierluigi Maccalli e o voluntário Nicola Chiacchio - foram libertados de sequestradores jihadistas no Mali. O país também foi palco de um golpe militar em agosto passado, com a deposição do presidente Ibrahim Boubacar Keita. (ANSA) 

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA