Região italiana adota toque de recolher em noite de Halloween

Moradores da Úmbria só poderão sair por 'motivos essenciais'

Regiões italianas restringem circulação no Halloween para evitar aglomerações
Regiões italianas restringem circulação no Halloween para evitar aglomerações (foto: ANSA)
14:42, 30 OutPERUGIA ZGT

(ANSA) - O governo da Úmbria, região que fica na área central da Itália, determinou um toque de recolher no fim de semana do Halloween para evitar aglomerações e, por consequência, a disseminação do coronavírus Sars-CoV-2.

Com isso, entre às 22h e 5h de 31 de outubro e 1º de novembro e no mesmo horário entre os dias 1º e 2, só poderão sair de casa aqueles que tenham "comprovadas exigências de urgência, de trabalho e de saúde".

"Também está proibido para todo o dia do sábado, 31 de outubro, a realização de costumes ligados ao Halloween, como a criação de grupos de passeio e de caminhadas porta a porta", informou ainda a região. Além disso, o governo anunciou outras medidas mais longas, como a proibição, até o dia 14 de novembro, de competições de esporte amador que tenha contato ou seja realizado em equipe e a redução "em breve" da ocupação do transporte público em 50% da capacidade.

Até o momento, a região contabiliza 6.166 casos da Covid-19, sendo 729 nas últimas 24 horas, e 121 óbitos relacionados à doença.

A Úmbria é mais uma região do país a adotar medidas restritivas para evitar aglomerações durante as celebrações do Halloween. A Ligúria também adotou o toque de recolher, entre 21 e 6h entre esta sexta-feira (30) e o próximo dia 2 de novembro, assim como a Campânia, onde a medida vale durante todo o fim de semana.

- Vale de Aosta:

A região com maior quantidade de casos, mortes e internações de maneira proporcional na Itália, o Vale de Aosta, anunciou que adotará o toque de recolher para tentar controlar o avanço de casos da Covid-19.

O governador, Erik Lavevaz, afirmou que a decisão foi tomada conjuntamente entre o governo e a Unidade de Crise para a Emergência Covid. "Precisamos evitar que os hospitais entrem em crise. Nos últimos 10 dias, os números aumentaram velozmente", destacou Lavevaz em coletiva de imprensa, precisando ainda que o decreto será assinado ainda nesta sexta.

A medida valerá das 21h às 5h para toda a região, mas ainda não foi confirmado até quando ela estará em vigor.

Segundo dados do Ministério da Saúde da Itália, o Vale de Aosta teve 155 novas contaminações nas últimas 24 horas, elevando o total de contaminados desde fevereiro para 3.136 casos. A região também contabiliza 166 mortes desde o início da crise sanitária. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA