Itália bate novo recorde de casos de coronavírus, e governo discute restrições

País registrou quase 32 mil infectados neste sábado (31)

Protesto contra medidas restritivas em Roma, capital da Itália
Protesto contra medidas restritivas em Roma, capital da Itália (foto: ANSA)
15:08, 31 OutSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - A Itália registrou neste sábado (31) mais um recorde de casos do novo coronavírus em 24 horas, enquanto o governo de Giuseppe Conte começa a se movimentar para tomar medidas mais duras contra a pandemia.

Segundo o boletim atualizado do Ministério da Saúde, foram contabilizados mais 31.758 contágios em um único dia, cerca de 700 a mais que na última sexta-feira (30), que detinha a maior marca até então.

Com isso, o número de pessoas já infectadas pelo Sars-CoV-2 na Itália subiu para 679.430. O país também soma 38.618 mortes, após um crescimento de 297 neste sábado, maior número diário desde 6 de maio (369), ainda antes do fim do lockdown.

 

De acordo com o monitoramento semanal do Instituto Superior da Saúde (ISS), órgão científico do governo italiano, a pandemia está em "rápida piora" no país e se encaminha para um "cenário de tipo 4", o mais grave de todos.

Esse estágio significaria transmissão descontrolada do vírus, com "criticidades para o sistema sanitário em curto prazo", e prevê medidas "muito agressivas" para conter a crise. A Itália, segundo o governo, ainda está no "cenário 3", mas quatro regiões (Calábria, Emilia-Romagna, Lombardia e Piemonte), além da província de Bolzano, já chegaram ao estágio 4.

Em meio à aceleração da pandemia, o comitê técnico-científico do governo convocou uma reunião de emergência neste sábado para discutir possíveis novas medidas para frear a curva de contágios. "Os critérios são: máxima precaução, adequação e proporcionalidade. Estamos trabalhando para entender se será preciso intervir", disse o premiê Conte em evento promovido por um jornal em Roma.

De acordo com o Ministério da Saúde, a Itália ainda contabiliza 289.426 pacientes curados e um recorde de 351.386 casos ativos, sendo que 1.843 estão internados em UTIs, maior número desde 28 de abril (1.863). Outro recorde registrado neste sábado é o de exames RT-PCR processados, com 215.886 em 24 horas.

 

Conte já decretou o fechamento de academias, piscinas, teatros e cinemas e a limitação do horário de funcionamento de bares e restaurantes até as 18h.

Algumas regiões foram ainda mais longe e impuseram toque de recolher noturno, como Lombardia, Lazio e Campânia, as três mais populosas do país. Em Roma, capital da Itália e do Lazio, manifestantes entraram em confronto com a polícia em um protesto neste sábado contra as medidas anti-Covid.

"Estão em curso reuniões incessantes para o próximo decreto, que certamente será mais restritivo", disse o ministro das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, ainda durante a manhã. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA