Corrida às compras de Natal causa aglomerações na Itália

Corrida às compras de Natal causa aglomerações na Itália
Corrida às compras de Natal causa aglomerações na Itália (foto: ANSA)
11:06, 20 Dez zsg

(ANSA) - A corrida para as compras de presentes de Natal levou uma multidão às ruas na Itália neste sábado(19), no último fim de semana antes do governo classificar o país como zona vermelha de risco de transmissão do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Os deslocamentos provocaram aglomerações em todas as cidades italianas, assustando especialistas e o governo nacional, que anunciou um lockdown durante as vésperas e os feriados entre 24 de dezembro e 6 de janeiro de 2021.

Apesar da pandemia registrar uma desaceleração nos últimos dias no país, o número de casos e vítimas da Covid-19 ainda são preocupantes, mas ainda assim milhares de pessoas invadiram a via del Corso, em Roma, - até então parcialmente fechada como a Piazza Navona.

O êxodo que se temia nas estações e nas rodovias, porém, não ocorreu, com os controles extraordinários já instalados.

O governo italiano, no entanto, espera por um dia critico na próxima segunda-feira (21), já que poucos dias depois não será mais possível se deslocar entre as regiões.

No centro de Roma foi registrada uma multidão para fazer compras de Natal. O fechamento momentâneo do tráfego de pedestres na via del Corso, no Largo Goldoni, foi acionado para permitir o fluxo de pessoas. A polícia local fez patrulhamento nas pontes de Lungotevere para facilitar a circulação.

Já em Bolonha, muitas pessoas invadiram as ruas do centro histórico da cidade, tendo em vista as restrições que entrarão em vigor a partir de quinta-feira(24).

Na via Indipendenza, na via Rizzoli, na via Farini e nas ruas ao redor da piazza Maggiore, muitas pessoas aproveitaram para visitarem diversas lojas e centros comerciais. Os bares da região também ficaram lotados.

O mesmo cenário se repetiu em Milão, onde a Piazza Duomo ficou repleta de famílias e casais. Vários bares e restaurantes também ficaram lotados. Filas se formaram em frente a muitas lojas, como Gucci e Louis Vuitton, onde a polícia local regulamentou as entradas.

“Um verdadeiro delírio pré-natalino inédito em um período de pandemia”, definiu um idoso morador da região.

No último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde da Itália neste sábado, o país registrou mais 16.308 casos e 553 mortes na pandemia do coronavírus Sars-CoV-2, elevando os totais de contágios e óbitos para 1.938.083 e 68.447, respectivamente. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA