Enfermeira deve ser primeira vacinada contra Covid na Itália

Imunização começará no próximo dia 27 de dezembro

Sede do Instituto Lazzaro Spallanzani, em Roma
Sede do Instituto Lazzaro Spallanzani, em Roma (foto: ANSA)
07:56, 22 DezROMA ZLR

(ANSA) - Uma enfermeira deve ser a primeira pessoa vacinada contra o novo coronavírus na Itália.

A informação é de fontes do Instituto Lazzaro Spallanzani, hospital romano que é a maior referência em doenças infecciosas no país, e do governo da região do Lazio.

O lote com as primeiras 9.750 doses da vacina anti-Covid da empresa alemã Biontech e da multinacional americana Pfizer, que foi aprovada pela União Europeia nesta segunda-feira (21), iniciará a viagem com destino à Itália no dia de Natal.

A carga chegará ao Spallanzani em 26 de dezembro, e o hospital iniciará a vacinação e distribuirá os imunizantes para todas as regiões do país no dia seguinte. Além da enfermeira, o hospital deve vacinar dois médicos, uma pesquisadora e mais um auxiliar de enfermagem.

Essa data, no entanto, é considerada apenas simbólica. A imunização em massa ocorrerá apenas em janeiro, com a chegada de um lote de pouco mais de 1,8 milhão de doses. Os primeiros grupos atendidos serão trabalhadores da saúde e funcionários e hóspedes de asilos.

A Itália soma atualmente quase 2 milhões de casos e 69,2 mil mortes na pandemia. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA