Itália aumenta monitoramento de variantes de coronavírus

Novas regras incluem reforço de monitoramento e em pesquisas

Casos suspeitos de serem variantes devem ser monitorados de perto
Casos suspeitos de serem variantes devem ser monitorados de perto (foto: ANSA)
12:01, 01 FevROMA ZGT

(ANSA) - O Ministério da Saúde da Itália publicou uma circular nesta segunda-feira (1º) com a determinação para uma maior gestão dos casos identificados no país de variantes do coronavírus Sars-CoV-2.

Quem for suspeito ou confirmado de ter contraído uma mutação da Covid-19 deve ser identificado rapidamente, bem como seus contatos de alto risco (as pessoas mais próximas na convivência) como os de baixo risco. Além disso, será indicado que todos os que tiveram algum tipo de contato com o suspeito façam o teste de detecção da doença e não será permitido interromper a quarentena obrigatória no 10º dia.

Para liberação do isolamento, será necessário fazer um novo teste no 14º dia - tanto do contaminado como dos contatos - "considerando a maior transmissibilidade das variantes".

A circular também fornece para os gestores as indicações de como fazer tanto a pesquisa para identificar as novas cepas como a gestão desses casos suspeitos.

Mesmo que não haja a confirmação de que o contaminado tenha uma variante, mas existam outras indicações de que possa ser o caso (viagens a locais onde há mais casos, por exemplo), é preciso iniciar o processo de contact tracing antes mesmo dos resultados confirmarem ou não a nova cepa.

O documento também orienta que, passados os 14 dias e os testes negativos, na semana consecutiva, devem ser ainda monitorados os afetados para o caso de possíveis novos sintomas.

A circular ainda determina que as análises das possíveis variantes devem ser realizadas em laboratórios de "alta segurança", nível P3 na classificação do governo, "para prevenir a difusão acidental de uma variante após exposição em laboratório".

A Itália já detectou as principais variantes do coronavírus em seu território - britânica, sul-africana e brasileira - e teme que, assim como ocorreu nas regiões de origem, a cepa se espalhe rapidamente.

O país é um dos mais afetados pela pandemia em todo o mundo e, atualmente, está conseguindo manter a segunda onda sob controle novamente. Segundo o último boletim do Ministério da Saúde, são mais de 2,5 milhões de casos de Covid-19 confirmados e 88,5 mil mortes. (ANSA).

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA