Populistas farão votação sobre apoio a Draghi nesta quinta-feira

Data foi anunciada após criação de pasta de Transição Ecológica

Votação na plataforma do M5S foi adiada após impasse
Votação na plataforma do M5S foi adiada após impasse (foto: ANSA)
17:27, 10 FevROMA ZCC

(ANSA) - O antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), dono da maior bancada no Parlamento da Itália, anunciou que realizará a votação online entre seus filiados para decidir se apoia ou não um governo encabeçado pelo ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE) Mario Draghi nesta quinta-feira (11).

"Estabeleci que a votação sobre o governo Draghi, suspensa hoje, seja realizada na plataforma Rousseau amanhã", afirmou o líder do M5S, Vito Crimi, no Facebook.

A votação terá início às 10h (horário local) e se estenderá até às 18h. Os filiados da legenda devem responder a seguinte questão: "Você concorda que o Movimento apoie um governo técnico-político: que prevê um super Ministério de Transição Ecológica e que defende os principais resultados alcançados pelo M5S, com as demais forças políticas indicadas pelo premiê encarregado Mario Draghi?".

Com cerca de 30% dos assentos na Câmara e no Senado, o M5S pode ser crucial para o economista garantir uma maioria segura para governar e colocar fim à crise política que paralisa a Itália desde 13 de janeiro.

Mais cedo, até Giuseppe Conte afirmou que, se fosse registrado, votaria sim para apoiar o governo de Draghi. A votação entre os filiados ao movimento estava marcada para os dias 10 e 11 de fevereiro, na plataforma online Rousseau, mas foi adiada devido a um impasse sobre meio ambiente.

Ontem (9), em uma reunião com Draghi, o fundador do movimento, Beppe Grillo, pediu prioridade ao meio ambiente e que a Liga, do ex-ministro do Interior Matteo Salvini não integre o governo, porque "não entende nada de meio ambiente".

Por isso, Grillo adiou a votação na espera de uma declaração "pública" de Draghi a respeito da composição do governo antes de tomar uma decisão.

Pouco tempo depois, após uma reunião entre o ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE) e uma delegação de ambientalistas, ficou decidido que haverá um ministério de transição ecológica.

O anúncio foi feito pela presidente do WWF Itália, Donatella Bianchi, ao término do encontro.

"Excelente notícia. Uma inovação importante em benefício da Itália proposta por Beppe Grillo, que, como sempre, sabe como olhar para longe", comemorou o ministro das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, no Twitter.

Após o fim das consultas, Draghi não deve fazer um discurso nesta noite. Até agora também não há confirmação se ele verá o presidente Sergio Mattarella. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA