Variante britânica representa quase 20% de novos casos na Itália

Movimentação no Hospital San Martino, em Gênova
Movimentação no Hospital San Martino, em Gênova (foto: ANSA)
12:37, 12 FevROMA ZLR

(ANSA) - Quase 20% dos novos casos do coronavírus Sars-CoV-2 na Itália se devem à variante britânica B.1.1.7, que está destinada a se tornar predominante no país.

Os dados estão em uma análise conduzida pelo Ministério da Saúde a partir de resultados de exames realizados nas 20 regiões italianas entre 3 e 4 de fevereiro.

Foram sequenciadas 852 amostras, sendo que 17,8% são da variante britânica do Sars-CoV-2, que é mais transmissível, embora não mais letal, que o vírus original.

"A variante provavelmente está destinada a se tornar prevalente nos próximos meses", disse o Ministério da Saúde. A pesquisa será feita novamente nos próximos dias para verificar a velocidade de difusão da B.1.1.7.

Por outro lado, o governo destacou que as vacinas já em uso na Itália (Pfizer, Moderna e AstraZeneca) "continuam eficazes" contra a variante.

As autoridades sanitárias do país também têm registrado casos da variante brasileira (P.1), que ainda não foi tão estudada quanto a britânica, mas a suspeita é de que ela também seja mais transmissível e possivelmente mais resistente às vacinas já prontas.

Até o momento, a Itália soma cerca de 2,7 milhões de casos e 92.729 mortes na pandemia. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA