Draghi faz apelo por esperança em meio à campanha de vacinação

Premiê italiano participou de uma reunião com as autoridades regionais
Premiê italiano participou de uma reunião com as autoridades regionais (foto: ANSA)
20:17, 29 MarROMA ZCC

(ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, participou nesta segunda-feira (29) de uma reunião com as autoridades regionais para debater a retomada das atividades em meio à pandemia de Covid-19 e fez um apelo para que a esperança seja restaurada no país.

O ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE) fez um apelo para que os italianos olhem "para o futuro com otimismo", já que a campanha de vacinação está melhorando contínua e rapidamente".

Além disso, Draghi ressaltou que "as metas estabelecidas para abril e maio" de vacinar meio milhão de pessoas por dia na Itália não parecem tão distantes, de acordo com fontes oficiais.

"No que se refere ao fornecimento de vacinas para os próximos meses, a Comissão tem assegurado que as doses deverão ser mais do que suficientes para atingir a imunidade para o mês de julho em toda a Europa", afirmou o premiê italiano.

A videoconferência também reuniu os ministros da Saúde, Roberto Speranza, e dos Assuntos Regionais, Mariastella Gelmini, além do encarregado para a emergência do coronavírus, Francesco Paolo Figliuolo, do chefe da Defesa Civil, Fabrizio Curcio, e dos governadores italianos.

Durante o encontro, Draghi lembrou que a Comissão Europeia tem assegurado que as doses que o continente receberá nos próximos meses serão mais do que suficientes para imunizar a população.

Para ele, somente com uma estreita colaboração entre o Estado e as regiões "esta batalha será vencida" e afirmou que "existe um compromisso comum para garantir não só a segurança e saúde, mas também a retomada da atividade econômica".

"O Estado fará tudo para atender às necessidades das regiões, inclusive no que se refere à questão da falta de pessoal", acrescentou o premiê.

Por parte das regiões existe o desejo de "um fecundo diálogo institucional para que trabalhemos como um só homem nesta campanha de vacinação", explicou o presidente da Conferência das Regiões, Stefano Bonaccini, ressaltando que o encontro decorreu num "clima construtivo" e que "foi garantida a máxima colaboração para agilizar a campanha de imunização".

No entanto, conforme solicitado pelo ex-ministro do Interior e líder da Liga, Matteo Salvini, os governadores do partido pediram para que uma reabertura razoável seja considerada, com a introdução de zonas amarelas após a Páscoa.

O governo italiano finalizará um novo decreto que entrará em vigor a partir de 6 de abril, quando expira o atual, e que regulará as medidas no país para tentar acelerar a campanha de vacinação e conter infecções.

Uma reunião do Conselho de Ministros sobre o novo decreto anti-Covid deve ocorrer na próxima quarta-feira (31). (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA