Itália aplica 2 milhões de doses de vacinas em uma semana

Ao todo, foram administrados 2.008.057 imunizantes em sete dias

Vacinação noturna em Gênova, na Itália
Vacinação noturna em Gênova, na Itália (foto: ANSA)
11:43, 10 AbrROMA ZCC

(ANSA) - A Itália aplicou mais de 2 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus Sars-CoV-2 na última semana, segundo o relatório do governo italiano divulgado neste sábado (10).

Os dados foram atualizados às 8h da manhã da sexta-feira (9) e incluem também o fim de semana da Páscoa. Ao todo, foram administrados 2.008.057 imunizantes nos últimos sete dias.

Este é um dos melhores resultados já registrados desde o início da campanha de vacinação em toda a Itália. A semana ainda ficou marcada pela chegada de um volume substancial de doses, equivalente a 3.284.930.

De acordo com o relatório, 38,79% dos cidadãos maiores de 80 anos já foram totalmente imunizados, enquanto 68,20% receberam apenas a primeira dose da vacina anti-Covid.

Para estimular a vacinação para este grupo, o comissário extraordinário para a pandemia, Francesco Figliuolo, assinou uma portaria recomendando que a prioridade da campanha de vacinação será idosos acima de 80 anos e pessoas frágeis.

Atualmente, os percentuais relativos aos italianos entre 70 e 79 anos são muito mais baixos do que os de 80. Nesta faixa etária, de fato, apenas 2,48% foram vacinados com as duas doses e 19,89% com uma.

Por outro lado, os números são maiores quando envolvem os idosos de residências sanitárias assistenciais (RSA): são 75,53% completamente imunizados e 91,25% parcialmente. Já em relação aos profissionais de saúde, a taxa é de 75,29% e 91,63%, respectivamente.

A Itália aplica três vacinas anti-Covid diferentes: a da Pfizer/BioNTech, a da Moderna e a da Universidade de Oxford/AstraZeneca. Hoje, inclusive, a Agência Italiana de Medicamentos (Aifa) alertou que a segunda dose dos imunizantes da Pfizer e Moderna deve ser aplicada com um intervalo máximo de até 42 dias.

Segundo o órgão, o ideal é 21 dias para a vacina da Pfizer e 28 dias para a da Moderna. Caso seja necessário atrasar a segunda dose em alguns dias, não se deve, em nenhum caso, ultrapassar o intervalo de 42 dias para ambos os imunizantes.

A Aifa ainda reiterou que para obter a proteção ideal é necessário completar o ciclo de vacinação com a segunda dose.

Prisão -

Neste sábado, durante uma visita ao centro de vacinação de San Giovanni, em Roma, o secretário de Saúde do Lazio, Alessio D'Amato, anunciou que no próximo dia 19 de abril a região receberá o primeiro lote de vacinas da Johnson & Johnson.

"É uma entrega quantitativamente modesta: 18 mil doses que irão principalmente para os presídios, para os funcionários que ali trabalham e para os presos", afirmou. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA