Governo da Itália anuncia relaxamento de regras anti-Covid

Restaurantes e bares vão reabrir as portas em 26 de abril

Mario Draghi concede coletiva de imprensa em Roma
Mario Draghi concede coletiva de imprensa em Roma (foto: ANSA)
14:06, 16 AbrROMA ZLR

(ANSA) - Sob pressão de governadores e prefeitos, de parte da base aliada e de categorias afetadas por medidas de restrição, o primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, anunciou nesta sexta-feira (16) um cronograma de relaxamento das normas anti-Covid.

A principal medida é a reabertura de bares e restaurantes, inclusive de noite, para atendimento ao ar livre a partir de 26 de abril, bem como de teatros, cinemas e museus.

Também nessa data, escolas de todos os níveis voltarão a ter aulas presenciais nas faixas de risco amarela e laranja e abrirão em modalidade mista (com parte dos alunos em ensino a distância) na zona vermelha.

Atualmente, quase 80% dos estudantes do sistema público de ensino já podem fazer aulas presenciais, mas na chamada "escola superior" (equivalente ao ensino médio) esse índice é de 38%.

"Essas aberturas são uma resposta ao desconforto de algumas categorias e dos jovens e trazem mais serenidade ao país, lançando as bases para a retomada da economia", disse Draghi em coletiva de imprensa em Roma.

Nas últimas semanas, a Itália tem registrado recorrentes protestos de categorias como autônomos, taxistas, comerciantes, donos de restaurantes, hoteleiros e estudantes. Atualmente, 19% da população nacional vive em regiões da faixa vermelha, que tem regras semelhantes às de um lockdown, mas esse índice vai cair para 9,5% a partir da próxima segunda-feira (19), com a progressão da Campânia para a zona laranja.

Dessa forma, apenas Puglia, Sardenha e Vale de Aosta ficarão na faixa vermelha, cujas regras proíbem sair de casa a não ser por motivos de saúde, trabalho ou urgência e impedem a abertura de restaurantes e do comércio não essencial.

Todo o restante do país está na faixa laranja, que permite deslocamentos dentro do próprio município e a abertura do comércio, porém com bares e restaurantes fechados - essa última regra, contudo, vai mudar a partir de 26 de abril.

Se a situação continuar melhorando, bares e restaurantes também poderão atender em espaços fechados a partir de 1º de junho. "Esses riscos [assumidos pelo governo], que vão ao encontro das expectativas dos cidadãos, estão fundados sobre uma premissa: que os comportamentos sejam escrupulosamente respeitados, como uso de máscaras e distanciamento", reforçou Draghi.

Segundo o primeiro-ministro, deslocamentos inter-regionais voltarão a ser permitidos entre regiões na faixa amarela, e será criado um "passe" para viagens entre regiões de cores diferentes, porém ele não deu mais detalhes sobre o documento nem sobre seus requisitos.

Já o ministro da Saúde, Roberto Speranza, anunciou que piscinas públicas ao ar livre serão reabertas em 15 de maio; academias, em 1º de junho; e feiras, em 1º de julho.

"Se os comportamentos foram respeitados, e não tenho dúvidas de que a campanha de vacinação será cada vez melhor, a possibilidade de voltar atrás [nas reaberturas] é muito baixa", declarou Draghi.

O premiê havia prometido chegar ao patamar de 500 mil doses aplicadas por dia entre 14 e 20 de abril, porém a Itália ainda vacina cerca de 300 mil pessoas a cada 24 horas.

Até o momento, cerca de 10,1 milhões de indivíduos já foram ao menos parcialmente imunizados, o equivalente a 17% da população nacional. Desse total, aproximadamente de 4,3 milhões tomaram as duas doses (7,2%).

Com cerca de 3,85 milhões de casos confirmados e mais de 116 mil mortes na pandemia, a Itália ainda vem registrando média móvel por volta de 400 óbitos por dia há cerca de um mês. (ANSA)

 

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA