Filmes na Itália terão de estrear primeiro no cinema

Regra vale para obras feitas com financiamento público

Medida foi assinada por Dario Franceschini
Medida foi assinada por Dario Franceschini (foto: Ansa)
11:22, 03 MaiROMA ZRS

(ANSA) - O ministro da Cultura da Itália, Dario Franceschini, assinou neste domingo (2) uma medida que retoma a obrigatoriedade de os filmes produzidos com financiamento público estrearem primeiro no cinema antes de ir para o streaming.

Com a medida assinada por Franceschini, os filmes só poderão aterrissar nas plataformas de streaming e na televisão após 30 dias da primeira exibição no cinema.

"Nesta fase de retomada é fundamental apoiar os cinemas e ao mesmo tempo reequilibrar as regras para evitar que o cinema italiano seja penalizado em relação ao cinema internacional", disse o ministro sobre o chamado "decreto das janelas".

Mario Lorini, presidente da Associação Nacional de Expositores de Cinema (Anec), definiu que é "inaceitável" a medida.

"O cinema italiano é o grande ausente para a retomada, apesar das proclamações contínuas de inúmeras produções, atores e diretores com produtos prontos. A urgência, aparentemente, é garantir sua proteção pelos próximos oito meses, ciente de que provavelmente para os próximos três ou quatro, o número de títulos italianos que chegarão aos cinemas será apenas marginal", disse Lorini.

O líder da Anec ainda relembrou que os prejuízos operacionais de 2021 já ultrapassaram a quantia de 400 milhões de euros, acrescentando que nenhuma dotação "ainda está definida pelo fundo de emergência do cinema".

Inicialmente, a medida vai valer até o dia 31 de dezembro de 2021. Além disso, o decreto prevê a validade dos acordos que as operadoras assinaram com os serviços de streaming antes da entrada em vigor da nova regra.

O filme italiano "Freaks Out", por exemplo, previsto nos cinemas para o final do mês de outubro, só poderá ser visto depois de 30 dias nas plataformas online. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA