Tribunal de Contas da Itália veta verba para vacina anti-Covid

Órgão considerou contrato com ReiThera como 'ilegítimo'

Vacina italiana pode ficar paralisada por falta de verbas
Vacina italiana pode ficar paralisada por falta de verbas (foto: ANSA)
13:55, 14 MaiROMA ZGT

(ANSA) - O Tribunal de Contas da Itália bloqueou nesta sexta-feira (14) um contrato firmado entre a Agência Nacional de Atração de Investimentos (Invitalia) e o laboratório ReiThera, que está desenvolvendo e testando uma vacina nacional contra a Covid-19.

Conforme decisão do órgão, o contrato que previa a destinação de 81 milhões de euros para a empresa é ilegítimo, o que o torna nulo. Agora, a decisão sobre o que será feito está nas mãos do Ministério do Desenvolvimento Econômico.

O comunicado do Tribunal detalha todas as etapas da negociação entre a pasta e o laboratório, que duraram cerca de dois meses, para apoiar a produção da vacina na fábrica em Castel Romano. A análise do documento, porém, mostrou falhas e "as respostas fornecidas pela Administração Pública não foram idôneas e não superaram as observações formuladas" pelo setor de controle.

Atualmente, o laboratório está fazendo de maneira simultânea as fases dois e três dos testes clínicos com 900 pessoas, mas a última etapa previa a adição de milhares de voluntários - e o dinheiro do governo era fundamental para ampliação e finalização do estudo.

Em janeiro, durante as negociações do governo e da ReiThera, o presidente da Agência Italiana de Medicamentos (Aifa), Giorgio Palù, afirmou que estimava que a vacina ficaria pronta até setembro deste ano. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA