Chefe de teleférico na Itália admite que desativou freio

Tadini disse estar arrependido; acidente deixou 14 mortos

Queda de teleférico deixou 14 mortos e apenas um sobrevivente (foto: ANSA)
12:11, 01 JunVERBANIA ZCC

(ANSA) - O chefe de serviços do teleférico Stresa-Mottarone, Gabriele Tadini, admitiu nesta sexta-feira (28) que desativou o sistema de freio de emergência para resolver um problema, mas não imaginou que um cabo pudesse se romper e provocar a queda da cabine, que deixou 14 mortos no dia 23 de maio.

"Eu corri o risco, mas a última coisa no mundo que pensei foi que o cabo de tração poderia ser quebrado", reconheceu o italiano ao falar com seu advogado Marcello Perillo.

Perillo revelou que seu cliente "está arrependido" e não estava consciente do risco real dessa decisão. Tadini está detido desde a última quarta-feira (26), quando foi preso junto com o proprietário e o diretor da empresa Ferrovie del Mottarone, responsável pela gestão do teleférico.

Os três estão sendo acusados de múltiplos homicídios intencionais, desastre por negligência, entre outros. O advogado de defesa de Tadini anunciou que vai pedir a prisão domiciliar de seu cliente.

A promotoria, por sua vez, contestou Tadini pelo crime de falsificação no pedido de prisão preventiva. Eles alegam que o italiano fez um relatório positivo sobre o controle diário efetuado para verificar o teleférico nos dias 22 e 23 de maio.

No documento, o chefe do teleférico afirma que as verificações sobre o funcionamento dos freios tiveram "resultados positivos", "apesar dele ter ouvido, proveniente da cabine, um ruído/som característico atribuível à presumível perda de pressão do sistema de frenagem da cabine, que se repetia a cada dois ou três minutos".

Segundo o Ministério Público de Verbania, esse cadastro tem como objetivo "provar a verdade" e é utilizado para "garantir a atividade de fiscalização do Ministério de Infraestrutura e Transportes".

Amanhã (29), novos interrogatórios serão realizados na prisão de Verbania, em frente à juíza de instrução Donatella Banco Buonamici.

Giro d'Itália -

Paralelamente, na tarde desta sexta-feira, o ciclista Alberto Bettiol dedicou a sua vitória na 18ª etapa do Giro d'Italia às vítimas do acidente do teleférico de Mottarone. Além disso, o prêmio em dinheiro recebido foi doado ao sobrevivente israelense de cinco anos, Eitan, que acordou do coma induzido e perguntou para sua tia sobre seus pais que morreram junto com seus bisavós e seu irmão de dois anos de idade. A criança está em condição estável e permanece hospitalizada. (ANSA)   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA