Itália abre vacinação para todos a partir desta quinta

Interessados devem fazer o agendamento em suas regiões

Agendamento de vacinação foi liberado para todas as idades
Agendamento de vacinação foi liberado para todas as idades (foto: ANSA)
08:13, 04 JunROMA ZGT

(ANSA) - A partir desta quinta-feira (3), todos os italianos elegíveis poderão fazer o agendamento da vacinação anti-Covid. As regras variam em cada área, com alguns governos liberando para adolescentes com mais de 12 anos e outros para os que têm mais de 16.

A Lombardia, região mais afetada pela crise sanitária e também a mais populosa, já teve quase 400 mil registros de pedidos para imunização, sendo 232,8 mil na faixa entre 20 e 29 anos; 120,4 mil entre 16 e 20 anos; e 42,2 mil entre 12 e 16 anos.

Segundo as informações do comissariado extraordinário para o enfrentamento da pandemia, mais de 2,5 milhões de vacinas chegarão ao país nesta semana, além das 3,5 milhões de doses da Pfizer/BioNTech que já estão sendo distribuídas.

A última atualização do Ministério da Saúde mostra que a Itália já administrou 35,8 milhões de doses das quatro vacinas utilizadas - Pfizer/BioNTech, Moderna, Oxford/AstraZeneca e Janssen. Quase 12,4 milhões de cidadãos completaram o ciclo de imunização, o que representa 22,85% da população acima dos 12 anos.

Apesar da ampliação, o comissário para a emergência, Francesco Figliuolo, alertou que muitos idosos acima dos 60 anos ainda não foram se vacinar nem com a primeira dose.

"Nesse momento, em relação a esse público, faltam ainda 2,17 milhões, são muitos ainda. Um bom trabalho já vem sendo feito, mas precisamos aumentar esse percentual. Precisamos pensar nas pessoas que não são escolarizadas do ponto de vista da tecnologia. Pedi que as regiões busquem por elas, seja através de suas equipes móveis ou da Defesa Civil", acrescentou o comissário.

Para tentar também acelerar a vacinação, o governo está buscando ampliar os quase três mil pontos de imunização, fazendo parcerias com farmácias, clínicas médicas, além dos chamados médicos de família. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA