Itália aprova decreto para contratação de servidores públicos

Medida está ligada ao plano de recuperação com fundos da UE

Brunetta celebrou a aprovação do decreto
Brunetta celebrou a aprovação do decreto (foto: ANSA)
17:37, 04 JunROMA ZGT

(ANSA) - O Conselho de Ministros da Itália (CdM) aprovou nesta sexta-feira (4) um decreto para a contratação de funcionários para a administração pública no âmbito do Plano Nacional de Retomada e Resiliência (PNRR), o chamado "plano de recuperação" com o uso de fundos repassados pela União Europeia.

"Nós aprovamos o decreto para o capital humano da administração pública, como o reforço de técnicos, de funcionários em geral, de diretores, engenheiros e especialistas que devem atuar o PNRR. Nós colocamos em prática um mecanismo inovador, com padrão internacional, prevendo plataformas específicas de recrutamento", destacou o ministro da Administração Pública, Renato Brunetta.

Outra novidade do documento, segundo o titular da pasta, é que foi cancelada a obrigatoriedade de que 50% dos funcionários dos setores de serviço público ficassem em home office. A medida havia sido adotada durante o período de lockdown da pandemia de Covid-19 e, "com o nosso plano de vacinação em andamento", isso "não é mais necessário".

O decreto, que tem mais de 20 páginas, também versa sobre os contratos de aprendizes, incentivando a formação de jovens técnicos especializados, e faixas de premiação para os funcionários públicos mais eficientes.

Ao todo, devem ser 24 mil contratações tanto para o governo central como para entes regionais, que terão a missão de usar o dinheiro europeu. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en