Discurso de Kamala Harris vira arma da extrema direita italiana

Vice pediu para imigrantes sem documentos não irem aos EUA

Kamala Harris durante visita à Guatemala
Kamala Harris durante visita à Guatemala (foto: EPA)
11:44, 08 JunROMA ZLR

(ANSA) - O discurso da vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, sobre imigração na Guatemala virou arma da extrema direita italiana, que defende um novo endurecimento das políticas migratórias do país.

Em viagem à Cidade da Guatemala, Harris, que é filha de imigrantes e pertence ao Partido Democrata, pediu que cidadãos da América Central não tentem entrar ilegalmente nos EUA e alertou que essas pessoas serão "mandadas de volta" se chegarem à fronteira.

"Assim a vice-presidente (democrata) dos EUA, Kamala Harris, defende justamente as próprias fronteiras. Será acusada de 'soberanismo' e talvez um pouco de racismo por parte de nossos 'intelectuais' e políticos de esquerda", escreveu no Twitter o ex-ministro do Interior e senador Matteo Salvini, líder do partido de ultradireita Liga, o mais popular da Itália.

Já a deputada Giorgia Meloni, figura em ascensão na política italiana e que defende um bloqueio naval no Mediterrâneo para impedir a chegada de migrantes, disse que Harris, "ídolo da esquerda, agora fala como Trump".

"Os Estados Unidos continuarão defendendo as próprias fronteiras e as próprias leis, até rechaçando quem tenta entrar ilegalmente. Assim como qualquer nação no mundo, a não ser a Itália, refém da esquerda imigracionista", declarou.

De acordo com o Ministério do Interior, a Itália já recebeu 15 mil migrantes forçados via Mediterrâneo em 2021, crescimento de quase 200% em relação ao mesmo período do ano passado. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA