G20 do Ambiente não chega a acordo em reunião na Itália

Elevação da temperatura e descarbonização ficarão para cúpula

Ministros não chegaram a acordo sobre temperatura e sobre descarbonização
Ministros não chegaram a acordo sobre temperatura e sobre descarbonização (foto: ANSA)
14:54, 23 JulROMA ZGT

(ANSA) - Os ministros do Meio Ambiente e Energia do G20, que estão reunidos em Nápoles, na Itália, não chegaram a um acordo sobre dois temas fundamentais da declaração final do encontro nesta sexta-feira (23).

"Sobre dois pontos, nós não tivemos acordo no G20 Ambiente e eles serão enviados para a reunião do G20 dos chefes de Estado e de governo: permanecer sob 1,5°C o aquecimento global até 2030 e eliminar o carvão da produção energética até 2025", informou o ministro de Transição Ecológica da Itália, Roberto Cingolani.

Segundo o político italiano, havia um entendimento em prol das duas medidas pelos países europeus, Estados Unidos, Japão e Canadá, mas "quatro ou cinco países, entre os quais, China, Índia e Rússia, disseram que não vão dar essa aceleração, mesmo querendo permanecer dentro dos limites do Acordo de Paris".

O tratado internacional firmado em 2015 prevê a manutenção da média de temperatura global abaixo de 2°C e a descarbonização entre 2030 e 2040.

“Nós concordamos sobre a aceleração da passagem para as energias limpas nessa década, alinhamento de fluxos financeiros aos compromissos do Acordo de Paris, adaptação e mitigação de efeitos climáticos, instrumentos sobre a economia verde e o compartilhamento das melhores práticas tecnológicas em pesquisa e desenvolvimento. Há quatro meses, alguns países nem queriam ouvir sobre adiantamentos e hoje debateram. Há uma maturação”, acrescentou.

Fontes do encontro afirmaram que a maior resistência sobre o documento final veio da Índia, que coloca no carvão e nos combustíveis fósseis as metas para seu crescimento econômico. A China teria até concordado com as metas de descarbonização e teria sido aplaudida pelos demais representantes.

Diversos líderes internacionais estão pressionando para uma aceleração da implementação de metas climáticas, especialmente, por conta das grandes tragédias ambientais vistas nestas semanas na Europa, China e Índia.

A Itália, que possui a presidência rotativa do grupo, está tentando emplacar uma maior ação sobre o assunto, mas vem encontrando bastante resistência de outros países do G20 tanto na Ásia como nas Américas. (ANSA).

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA