Antivax é denunciado na Itália por ameaçar esposa vacinada

Suspeito tem aversão a imunizantes anti-Covid

Ataque de antivacinas a centro de imunização em Turim, 15 de agosto de 2021
Ataque de antivacinas a centro de imunização em Turim, 15 de agosto de 2021 (foto: ANSA)
13:56, 08 NovTURIM ZLR

(ANSA) - Um homem antivacina foi denunciado na Itália após ter ameaçado sua esposa por ela defender a imunização contra a Covid-19.

O caso ocorreu em Turim, no norte do país europeu, e o indivíduo responderá por maus-tratos familiares, além de estar proibido de se aproximar da mulher e do filho do casal.

De acordo com a polícia, a esposa contou que eram frequentes as discussões por causa da aversão do marido às vacinas. Segundo a vítima, o homem começou a insultá-la e ameaçá-la após ela ter se vacinado contra a Covid-19 e dito que também queria imunizar o filho.

Além disso, a mulher revelou que seu marido estava disposto inclusive a se demitir para não se vacinar - a Itália exige apresentação de certificado de imunização, cura ou exame negativo contra o novo coronavírus em todos os locais de trabalho.

O homem chegou a ameaçar proibir a esposa de sair de casa e até incendiar o apartamento do casal.

Quase 84% do público-alvo (pessoas a partir de 12 anos) na Itália já está totalmente vacinado contra a Covid, porém mais de 7,2 milhões de pessoas não tomaram sequer a primeira dose.

O país também atravessa um momento de crescimento nos novos casos, especialmente em cidades que registraram grandes protestos contra o certificado sanitário anti-Covid, como Trieste. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA