Taxa de mortalidade de não vacinados é 9 vezes maior na Itália

Taxa de mortalidade de não vacinados é 9 vezes maior na Itália
Taxa de mortalidade de não vacinados é 9 vezes maior na Itália (foto: ANSA)
12:10, 20 NovROMA ZCC

(ANSA) - Um estudo divulgado neste sábado (20) pelo Instituto Superior de Saúde (ISS) da Itália revelou que a taxa de mortalidade de pessoas não vacinadas contra a Covid-19 é cerca de nove vezes maior do que a de cidadãos com o ciclo vacinal completo em seis meses.

Segundo o "Relatório Ampliado de Vigilância", o índice de mortalidade de pessoas que não se vacinaram é de 65 para cada 100 mil habitantes, enquanto que das imunizadas é de 7 para cada 100 mil italianos.

Os dados revelam ainda que a taxa de morte dos não vacinados é seis vezes maior do que a dos imunizados com o ciclo completo por mais de seis meses (11 por 100 mil/hab).

Além disso, no último mês, 51,0% das internações, 64% das hospitalizações em UTI e 45,3% dos óbitos ocorreram entre aqueles que não receberam nenhuma dose da vacina anti-Covid.

No período de 8 de outubro a 7 de novembro, o ISS aponta que na unidade de terapia intensiva foram registradas 424 pessoas não vacinadas de um total de cerca de 8 milhões de não imunizados na Itália, contra 177 pacientes vacinados hospitalizados com ciclo completo em menos de 6 meses.

Nos últimos 30 dias, 50.564 casos de Covid-19 foram notificados (39,9%) entre os não vacinados, 3.980 contágios (3,1%) entre os vacinados com um ciclo incompleto, 60.407 infecções (47,7%) entre aqueles vacinados com um ciclo completo em seis meses, 11.215 (8,9%) entre aqueles totalmente vacinados a mais de seis meses e 537 casos (0,4%) entre os completamente vacinados e que receberam uma dose de reforço.

O estudo indica também que a proteção da vacina anti-Covid para os vacinados por mais de 6 meses cai de 95% para 82%. "Após 6 meses do término do ciclo de vacinação há uma queda acentuada da eficácia da vacinação na prevenção de diagnósticos em todas as faixas etárias", diz o ISS. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA