Draghi lidera preferência dos italianos para Presidência

Berlusconi aparece em segundo lugar, seguido por Mattarella

Premiê há menos de um ano, Draghi é cotado para substituir Mattarella
Premiê há menos de um ano, Draghi é cotado para substituir Mattarella (foto: ANSA)
09:58, 01 DezROMA ZLR

(ANSA) - Uma pesquisa de opinião divulgada nesta quarta-feira (1º) apontou que o primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, é o preferido do eleitorado para se tornar o próximo presidente do país.

O premiê e ex-mandatário do Banco Central Europeu (BCE) aparece com 23,4% da preferência, à frente do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi (20,6%) e do atual inquilino do Palácio do Quirinale, Sergio Mattarella (19,3%), que já disse que não quer ser reeleito.

Em seguida aparecem o deputado Pier Luigi Bersani (12%) e a senadora Emma Bonino (10,1%). Além disso, a pesquisa mostrou que a maioria dos italianos (59,8%) quer eleições diretas para presidente, enquanto apenas 28,3% preferem o sistema atual, com o chefe de Estado sendo escolhido pelo Parlamento.

A sondagem foi realizada pelo instituto IZI e ouviu 1.017 eleitores entre 19 e 21 de novembro.

Eleito em 2015, Mattarella termina seu mandato de sete anos no início de fevereiro, mas os partidos já se movimentam para definir seu sucessor, o que deve ocorrer em janeiro de 2022.

Os principais nomes em pauta hoje são os de Draghi, o que colocaria o país no caminho de eleições antecipadas, e Berlusconi, hipótese defendida sobretudo por partidos conservadores.

No entanto, é comum que grupos políticos escondam seus candidatos para evitar queimá-los antes da hora. Para se eleger chefe de Estado, o postulante precisa obter maioria qualificada de dois terços dos cerca de mil votos no Parlamento, mas, a partir da quarta tentativa, é necessária apenas maioria simples. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA