Itália define regras para isolados em eleição de presidente

Parlamentares em quarentena votarão em estacionamento da Câmara

Fachada da sede da Câmara dos Deputados da Itália, em Roma
Fachada da sede da Câmara dos Deputados da Itália, em Roma (foto: ANSA)
11:56, 21 JanROMA ZLR

(ANSA) - Os parlamentares que estiverem de quarentena durante a eleição para presidente da Itália poderão votar no estacionamento da Câmara dos Deputados.

A primeira votação está prevista para 24 de janeiro, e apenas parlamentares vacinados ou recém-curados da Covid-19 poderão entrar no plenário da Câmara, onde acontece a eleição.

No entanto, os partidos vinham pressionando por uma solução que permitisse a eleitores em quarentena participar do pleito.

A solução encontrada pelo presidente da Câmara, Roberto Fico, do antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), foi montar um local de votação em um estacionamento do Parlamento.

O governo do premiê Mario Draghi já aprovou nesta sexta-feira (21) um decreto que permite aos eleitores em isolamento sair de suas residências para votar, mas eles precisarão se deslocar em veículos particulares e usar máscara PFF2.

De acordo com o jornal La Repubblica, a Itália tem hoje cerca de 30 parlamentares em quarentena por causa da Covid. O colégio que elege o presidente da República é formado por 1009 eleitores, incluindo 630 deputados, 321 senadores e 58 delegados das 20 regiões do país.

Para ser eleito, um candidato precisa obter dois terços dos votos (673), mas esse patamar vale apenas para os três primeiros escrutínios. Se o pleito chegar até a quarta votação, passa a ser necessária somente a maioria simples (505).

Essa diferença é uma maneira de incentivar os partidos a buscar um consenso o mais amplo possível, uma vez que o cargo de presidente tem um caráter mais institucional do que político, embora não seja meramente decorativo.

De acordo com o protocolo anti-Covid definido pelo Parlamento, será realizada apenas uma votação por dia, e os eleitores serão convocados em grupos de 50 por vez.

Os votantes precisarão higienizar as mãos com álcool antes e depois de depositar sua cédula e usar máscara PFF2. Além disso, será permitida a presença de no máximo 200 eleitores por vez no plenário da Câmara.

Os mais cotados para a vitória são o premiê Mario Draghi, o ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi e o atual presidente Sergio Mattarella, mas é normal que os partidos deixem para formalizar suas indicações apenas de última hora. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA