Itália doará 31 milhões de vacinas de Covid a países pobres

Anúncio foi feito pelo premiê Mario Draghi em cúpula sobre Covid

Anúncio foi feito pelo premiê Mario Draghi em cúpula sobre Covid
Anúncio foi feito pelo premiê Mario Draghi em cúpula sobre Covid (foto: EPA)
14:44, 12 MaiROMA ZCC

(ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, confirmou nesta quinta-feira (12) que seu governo doará mais 31 milhões de doses contra a Covid-19 por meio do mecanismo Covax, criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para garantir que países pobres tenham acesso a vacinas.

A declaração foi dada em uma mensagem gravada por ocasião da Global Covid Summit, segunda cúpula sobre o novo coronavírus realizada nos Estados Unidos, e divulgada pelo perfil do Palazzo Chigi no Twitter.

Draghi, que viajou a Washington para se reunir com o presidente dos EUA, Joe Biden, e debater a guerra na Ucrânia e a crise energética, também garantiu que a Itália irá investir 200 milhões de euros no ACT-Accelerator, programa desenvolvido em abril de 2020 para tentar acelerar a produção e distribuição de terapias anti-Covid no mundo.

Em seu discurso, o ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE) celebrou que "em muitos de nossos países, retiramos as restrições, reabrimos as escolas, reativamos a economia, salvamos vidas - e voltamos à vida normal", mas ressaltou que "a pandemia não acabou" e ainda há muitas nações que precisam de imunizantes para combater a emergência sanitária.

"Desde o início do ano, tivemos uma média de 1,7 milhão de casos de coronavírus por dia em todo o mundo. Estamos longe de nossa meta compartilhada de vacinar 70% da população em todos os países até meados de 2022. A lacuna de vacinação está fechando, mas a taxa de cobertura em alguns países continua abaixo de 10%", explicou Draghi.

O premiê lembrou que "a Itália já contribuiu com 445 milhões de euros para a resposta multilateral à pandemia e já se comprometeu a doar 69,7 milhões de doses através da Covax".

De acordo com Draghi, "a Presidência italiana do G20 lançou uma força-tarefa conjunta Finanças-Saúde, destinada a explorar uma nova ferramenta para financiar a prevenção, preparação e resposta à pandemia".

"A Itália está fortemente empenhada em acabar com esta pandemia e prevenir futuras. Estamos prontos para continuar trabalhando juntos - com urgência e determinação", acrescentou.

Por fim, Draghi agradeceu "Biden e a todos os organizadores por sediarem este importante encontro" e ressaltou que "o desenvolvimento de vacinas eficazes e a organização de campanhas de vacinação bem-sucedidas marcaram um ponto de virada na luta contra a pandemia". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA