Lampedusa recebe mostra subaquática de fotos de refugiados

Exposição StarS conta com 12 grandes fotos de migrantes

Refugiados são tema de exposição subaquática em Lampedusa (foto: Reprodução/ Salvo Galano)
19:59, 12 JulROMA ZAR

(ANSA) - Doze retratos de homens e mulheres refugiados poderão ser vistos a partir da próxima quarta-feira, dia 13, debaixo do mar perto da ilha italiana de Lampedusa.

 

A dúzia de rostos sorridentes faz parte da exposição fotográfica submarina StarS, que tem como objetivo mostrar que ainda há esperança na questão da crise migratória da Europa e que existem histórias felizes relacionadas a essa migração.

 

Para isso, o fotógrafo italiano Salvo Galano dispôs em maneira circular 12 enormes cartazes com as fotos a uma profundidade de 3 ou 4 metros, na Cala Croce, Lampedusa, ilha símbolo da crise de refugiados no Mediterrâneo.

 

As fotografias contam histórias positivas de migrantes de diversas etnias e idades que conseguiram, após passar por dificuldades e travessias perigosas, encontrar um lugar para recomeçar a vida.

 

O percurso pode ser facilmente realizado por nadadores, mergulhadores e por pequenos barcos. Os movimentos das correntes e a inclinação do sol nas diversas horas do dia, modificarão constantemente o efeito visual dos retratos.

 

A mostra StarS foi idealizada pelos fundadores da Associazione Culturale Sudest, Salvo Galano e a Veronica Mengoli, com colaboração da prefeita de Lampedusa, Giusi Nicolini.

 

Os 12 migrantes e refugiados foram encontrados e escolhidos graças ao patrocínio e à participação de algumas ONGs especializadas no assunto, como o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), a Cruz Vermelha Italiana, a Fondazione Progetto Arca Onlus e a Associazione SOSerm.

 

A exposição ficará debaixo d'água até o próximo dia 3 de outubro, conhecido como o "Dia da Memória", data para relembrar e homenagear todas as vítimas da crise migratória. Depois disso, a mostra será exposta no centro da cidade. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA