Trem de luxo 'Dolce Vita' oferecerá rota para redescobrir Itália

Lançamento de projeto contou com a presença da prefeita de Roma

Lançamento de projeto contou com a presença da prefeita de Roma (foto: ANSA)
17:37, 15 JunROMA ZCC

(ANSA) - As empresas italianas Arsenale e Trenitalia apresentaram nesta terça-feira (15) um projeto de turismo ferroviário no qual trens de luxo oferecem um itinerário para o passageiro redescobrir as belezas da Itália.

Batizada de "Dolce Vita", a ideia foi lançada na estação Ostiense de Roma, na presença, entre outros, dos ministros do Turismo, Massimo Garavaglia, e do Desenvolvimento Econômico, Giancarlo Giorgetti, além da prefeita de Roma, Virginia Raggi.

O projeto ofertará um deslocamento "lento" e sustentável a bordo de um transporte luxuoso para explorar as regiões do país mais conhecidas e os destinos menos frequentados. A expectativa é de que o serviço seja inaugurado em janeiro de 2023.

"É um projeto que valoriza Roma e o turismo em nosso país", disse Raggi, enfatizando que "o trem Dolce Vita é um nome que lembra Roma e todo o imaginário do nosso país e de Roma no mundo".

O plano prevê o funcionamento de cinco trens e 10 rotas icônicas - em viagens de uma a três noites -, cruzando 14 regiões e passando por 128 cidades, por meio de 16 mil quilômetros de linhas ferroviárias transitáveis, sendo que 7 mil não são eletrificadas. Os percursos, de fato, vão desde os picos alpinos às praias cristalinas da Sicília.

Os trens vão contar com 20 suítes e 12 cabines de luxo, totalizando 32 leitos cada um. A capacidade total será de 64 passageiros, com o objetivo de transportar 74 mil passageiros até 2026.

"É um trem projetado não para chegar a um destino, mas como uma experiência das férias propriamente ditas", explicou o diretor-geral da Fundação FS Italiane, Luigi Cantamessa.

O desenho dos vagões foi confiado ao Dimorestudio, um dos mais importantes estúdios italianos de design de interiores, que se baseou nas linhas de mestres como Gio Ponti e Carlo Scarpa, além de Lucio Fontana e Enrico Castellani.

A decoração interior se concentrará no "made in Italy", com detalhes em couro da Úmbria, vidros de Murano personalizados, tecidos toscanos, banheiros em mármore Carrara, madeiras trentinas e serviços tecnológicos feitos por empresas lombardas e emilianas.

Já os serviços de bordo vão incluir um cardápio para valorizar os chefs italianos e os produtos típicos locais.

"Este trem é uma homenagem à Itália, à beleza e à singularidade do nosso território, às suas excelências até à comida e a boa mesa serão os pilares da nossa oferta", explicou o CEO da Arsenale, empresa que atua no setor hoteleiro, Paolo Barletta.

Para o executivo, "a Itália é uma experiência 360 graus e é precisamente da experiência que devemos recomeçar para uma oferta integrada e completa".

O CEO da Trenitalia, Luigi Corradi, por sua vez, afirmou que o projeto "é um exemplo de que quando a Itália se une" é possível "fazer coisas bonitas".

"O Trem Dolce Vita representa tudo o que precisamos fazer nos próximos meses. Gostaria que este ano os turistas viajassem de trem e, por isso, temos feito um importante esforço de apoio ao turismo", finalizou Corradi. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA