Número de italianos no exterior chega a 5,6 milhões

Segundo relatório, houve alta de 3% mesmo no 'ano da Covid'

Italianos no exterior aumentaram 3% no 'ano da Covid'
Italianos no exterior aumentaram 3% no 'ano da Covid' (foto: EPA)
14:09, 10 NovROMA ZGT

(ANSA) - O Relatório Anual sobre os Italianos no Exterior, elaborado pela Fondazione Migrantes, foi divulgado nesta terça-feira (9) e mostrou que, até 1º de janeiro de 2021, eram 5.652.080 os cidadãos que estavam morando em outros países do mundo, uma alta de 3% na comparação com o mesmo dia de 2020.

O dado apresentou um avanço menor do que o esperado, obviamente, por conta da pandemia de Covid-19 e do fechamento de muitas fronteiras durante todo o ano passado.

Quando comparado com os anos anteriores, o registro dos italianos que moram no exterior (Aire) é ainda maior: 13,6% de crescimento nos últimos cinco anos e 82% na comparação com 2006.

Houve também elevação na quantidade de mulheres e famílias que moram em outras nações no período. No início de 2021, a diferença entre os gêneros chegou ao menor nível em 16 anos, quando começou a ser computada: 48,1% dos que moram fora da Itália são mulheres. Em percentual, a quantidade de mulheres que moram fora do país subiu 89,4% em relação a 2006.

"A comunidade de ítalo-descendentes no mundo está estimada em cerca de 180 milhões de pessoas, às quais se unem os quase seis milhões de cidadãos italianos vivendo no exterior. O significado humano, cultural e profissional dessa presença é de um valor inestimável no âmbito do soft power que permite colocar o nosso país entre os quais o modelo de vida tem maior atração e consideração", disse o presidente italiano, Sergio Mattarella, ao comentar o resultado da pesquisa.

Para o presidente, que compareceu pessoalmente ao evento na sede da fundação, o relatório se confirma "ano após ano como um útil instrumento de aprofundamento sobre um tema central no âmbito das mudanças que se propagam em escala mundial". (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA