Al Shabab promete fazer guerra 'longa e terrível'

Ataque do grupo em universidade do Quênia matou 148 pessoas

Ataque contra universidade queniana deixou 148 mortos
Ataque contra universidade queniana deixou 148 mortos (foto: EPA)
19:58, 06 AbrGARISSA ZLR

(ANSA) - Em uma mensagem postada no Twitter, o grupo fundamentalista somali Al Shabab prometeu fazer uma guerra "longa e terrível" contra o Quênia, caso o país mantenha suas tropas na Somália.
    Além disso, a organização ligada à Al Qaeda manteve o tom em um email enviado à agência de notícias "Reuters". "Nenhuma precaução ou medida será capaz de garantir a sua segurança, de evitar outro ataque ou de prevenir mais um banho de sangue nas suas cidades", diz o texto.
    Na última quinta-feira (2), milicianos do Al Shabab invadiram a Universidade de Garissa, no leste queniano, e mataram 148 pessoas. Segundo testemunhas, eles deixavam os muçulmanos escaparem e atiravam contra os cristãos.
    A ação foi uma vingança pela intervenção de Nairóbi na Somália, no âmbito de uma missão da União Africana. Entre as vítimas da operação estão 142 estudantes, três policiais e três soldados. Além disso, quatro terroristas foram mortos pelas forças de segurança.
    Na sexta-feira (3), cinco pessoas foram presas acusadas de envolvimento no atentado enquanto tentavam fugir para a Somália, sendo que uma delas trabalhava na equipe de proteção da universidade.
    Em 2013, o mesmo Al Shabab já havia assassinado 67 indivíduos em um atentado contra o centro comercial Westgate Mall, em Nairóbi. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en