Trump anuncia decreto contra item que potencializa armas

Presidente decidiu agir após projeto não avançar no Congresso

Protesto contra venda de armas em Atlanta, nos EUA
Protesto contra venda de armas em Atlanta, nos EUA (foto: EPA)
21:00, 23 MarWASHINGTON ZLR

(ANSA) - Na véspera da marcha por restrições ao comércio de armas nos Estados Unidos, o secretário de Justiça Jeff Sessions anunciou nesta sexta-feira (23) uma proposta para proibir a venda dos chamados "bump stocks", dispositivos usados para aumentar o poder de fogo de fuzis semiautomáticos.

O governo de Donald Trump preferiu não esperar uma ação do Congresso, que é dominado por seu partido, o Republicano, e vem se mostrando pouco disposto a impor qualquer tipo de restrição para a aquisição de armamentos no país.

"A gestão Obama legalizou os bump stocks. Má ideia. Como prometi, hoje o Departamento de Justiça lançou a regra banindo os bump stocks. Vamos proibir todos os dispositivos que transformam armas dentro da lei em máquinas ilegais", disse.

A medida é a primeira reação da Casa Branca aos recentes massacres em escolas nos EUA, como o de Parkland, na Flórida, que deixou 17 mortos em fevereiro passado. O atirador Nikolas Cruz usou um "bump stock" para aumentar o poder de fogo de sua arma.

Neste sábado (24), alunos do colégio de Parkland farão uma marcha em Washington e pedirão mais controles na venda de armas, inclusive a proibição de todos os modelos semiautomáticos e o aumento da idade mínima para compra de armamentos de 18 para 21 anos - o veto ao "bump stock" é outra reivindicação dos jovens.

Até a Associação Nacional do Rifle (NRA), principal lobista pró-armas dos EUA e financiadora do Partido Republicano, chegou a indicar que aceitaria a regulamentação dos "bump stocks", embora rejeite qualquer outro tipo de restrição. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA