Trump constrói 'muro' ao redor da Casa Branca por caso Floyd

Cerca impede que manifestantes cheguem próximo à residência

Cerca ao redor da Casa Branca foi alargada por causa dos protestos pela morte de George Floyd
Cerca ao redor da Casa Branca foi alargada por causa dos protestos pela morte de George Floyd (foto: AFP)
14:29, 05 JunNOVA YORK ZGT

(ANSA) - Os protestos diários em Washington por conta do assassinato de George Floyd fizeram com que o Serviço Secreto dos Estados Unidos ordenasse a construção de uma cerca ao redor de toda a Casa Branca para proteger o presidente Donald Trump e sua família.

A medida foi ironizada nas redes sociais e por diversas publicações norte-americanas críticas ao mandatário. "Donald Trump está de certa forma, finalmente fazendo seu 'grande, bonito muro' - não ao longo da fronteira sul, lembre-se, mas ao redor da Casa Branca", diz a matéria da revista "Vanity Fair", uma das mais atacadas pelo republicano.

Segundo a publicação, já havia uma cerca protegendo em parte a residência oficial do presidente, mas ela foi alargada e teve seu tamanho aumentado, como é possível ver nas fotos dos manifestantes na capital norte-americana.

"A nova fortificação - que uma fonte do Serviço Secreto disse à Fox News estar 'no padrão das cercas antimotim e varia entre sete pés e nove pés de altura' - aparece em meio aos dias de protestos pacíficos do lado de fora da Casa Branca", escreveu ainda o jornalista Eric Lutz.

Outra publicação sempre atacada pelo chefe do Executivo norte-americano, a "The Atlantic", também publicou um artigo sobre a nova cerca e destacou que o "presidente Donald Trump está preso dentro da Casa Branca, após um alto e imponente muro ser erguido ao seu redor, e os guardas de prisão em constante observação".

"A cerca pretende manter as pessoas do lado de fora, óbvio, e garantir a segurança para a Casa Branca. Mas, muros não mantêm apenas as pessoas fora - eles mantêm as pessoas dentro também, uma realidade dramatizada pelo fato de que alguns que estão na vigilância sejam agentes do sistema federal de prisões", escreveu o jornalista David A. Graham.

A prefeita de Washington, a democrata Muriel Bowser, lamentou a decisão e mostrou preocupação com a construção da grande cerca, ressaltando que cresceu na capital norte-americana e sempre foi "acostumada a ter acesso às nossas instalações federais e andar na frente da Casa Branca". "Agora, tudo isso está sob ameaça", pontuou Bowser.

Os atos pedindo justiça pela morte de Floyd pelo policial branco Derek Chauvin, no dia 25 de maio, se espalharam por todos os estados norte-americanos, em inúmeras cidades, incluindo Washington. Trump tem sido duramente criticado por sua resposta aos protestos, tendo ameaçado usar a força- até mesmo o Exército - contra os manifestantes.

Segundo o jornal "The New York Times", a família Trump chegou a ser levada para o bunker dentro da Casa Branca durante atos na semana passada.

Entre suas promessas de campanha, Trump tinha como um dos principais pontos a construção de um muro na fronteira entre os EUA e o México, em um projeto de bilhões de dólares, para frear a imigração ilegal. Até hoje, no entanto, o orçamento para a obra total nunca foi aprovado pelo Congresso, tendo a construção começado em partes. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA