Coreia do Norte interrompe comunicações com Sul

Medida foi tomada após ativistas enviarem panfletos contra Kim

Kim Jong-un reabriu espiral de tensão com EUA e Coreia do Sul
Kim Jong-un reabriu espiral de tensão com EUA e Coreia do Sul (foto: )
09:47, 09 JunSEUL ZLR

(ANSA) - A Coreia do Norte anunciou nesta terça-feira (8) a interrupção dos canais de comunicação militar e política com a "inimiga" Coreia Sul.

A medida foi tomada por Pyongyang após ativistas sul-coreanos terem conseguido mandar panfletos contra o regime de Kim Jong-un para o outro lado da fronteira.

A suspensão dos canais de comunicação inclui o fechamento do escritório de ligação situado em Kaesong, na fronteira com o Sul. O gabinete havia sido instituído em setembro de 2018, como parte do processo de reaproximação na península.

Segundo a agência oficial KCNA, Pyongyang vai "cortar completamente e fechar a linha entre as autoridades do Norte e do Sul, mantida por meio do escritório conjunto de ligação" entre os países.

A medida também afeta as comunicações militares e entre o Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte e o gabinete presidencial da Coreia do Sul. Além disso, a poderosa irmã de Kim Jong-un, Kim Yo-jong, ameaçou rasgar um acordo militar com Seul se ativistas continuarem despachando panfletos na fronteira.

Em 1º de janeiro de 2020, Kim já havia anunciado o fim da moratória em testes de armas nucleares e mísseis balísticos, reabrindo a espiral de tensão com os Estados Unidos e o Sul.

Esses testes estavam suspensos por conta das negociações para desnuclearizar a península, mas as conversas seguem travadas desde fevereiro de 2019, quando o presidente Donald Trump abandonou de forma abrupta uma cúpula bilateral em Hanói, no Vietnã. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA