ONU vai debater racismo e violência policial no mundo

Pedido para debate veio de 54 países africanos

Protestos pela morte de Floyd continuam sendo realizados nos EUA desde 25 de maio
Protestos pela morte de Floyd continuam sendo realizados nos EUA desde 25 de maio (foto: AFP)
11:41, 15 JunGENEBRA ZGT

(ANSA) - O Conselho de Direitos Humanos (CDH) da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou nesta segunda-feira (15) o pedido de 54 países africanos para abrir um debate sobre o racismo e a violência policial no mundo.

A solicitação de urgência para instaurar as conversas veio através de uma carta assinada pelo embaixador de Burkina Faso, Dieudonné Désiré Sougouri, representando as nações africanas, para aproveitar o contexto das mobilizações internacionais causadas após a morte do ex-segurança norte-americano George Floyd, no dia 25 de maio.

Floyd foi morto por um policial branco, Derek Chauvin, durante uma abordagem na cidade de Minneapolis. A brutalidade do agente, que permaneceu por mais de oito minutos com o joelho no pescoço do homem negro, chocou tanto os norte-americanos como o mundo.

Por conta disso, desde aquele dia, as cidades do país registram protestos diários contra o racismo na sociedade.

Segundo o Conselho, a reunião será realizada nesta quarta-feira (17), às 15h (10h no horário de Brasília). A decisão foi aprovada por unanimidade pelos 47 representantes dos países-membros do grupo durante a 43ª sessão do grupo, sendo que os trabalhos do CDH estavam suspensos desde março por conta da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Em nota após o encontro, a Itália - através de seu Ministério das Relações Exteriores - informou que a retomada do trabalhos do Conselho tem um "forte valor simbólico" por veicular uma clara mensagem para a comunidade internacional sobre a vontade, a importância e o dever moral para proteger e promover os direitos de liberdades fundamentais no mundo. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA