Jihadistas ligados ao EI raptam centenas de pessoas na Nigéria

Ação teria sido realizada por uma dissidência do Boko Haram

Norte da Nigéria é palco de atuação de grupos jihadistas como o Boko Haram
Norte da Nigéria é palco de atuação de grupos jihadistas como o Boko Haram (foto: EPA)
14:10, 19 AgoKANO ZLR

(ANSA) - Um comando jihadista tornou reféns centenas de moradores de uma cidade no nordeste da Nigéria, território de atuação de grupos fundamentalistas islâmicos no país.

Segundo Babakura Kolo, líder de uma milícia local, a ação foi conduzida por "terroristas" do Estado Islâmico da Província da África Ocidental (Iswap, na sigla em inglês), uma dissidência do Boko Haram.

O Iswap diz ser uma "província" do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) no oeste africano. O ataque ocorreu na terça-feira (18), na cidade de Kukawa, situada na região do Lago Chade.

O comando sequestrou pessoas que haviam retornado para casa em 2 de agosto, sob escolta militar, após quase dois anos abrigadas em acampamentos para deslocados internos em Maiduguri, capital do Borno, no norte da Nigéria, devido a conflitos em sua terra de origem.

"Os terroristas atacaram a cidade com 22 caminhões e tiveram uma batalha feroz com soldados que protegiam a cidade", disse Kolo, segundo a agência AFP. "Não sabemos o que farão com as pessoas, mas espero que não as machuquem", acrescentou um dirigente local.

Surgido a partir de uma dissidência provocada por uma disputa de poder no Boko Haram, grupo terrorista mais conhecido da Nigéria, o Iswap vem estendendo sua influência na região do Lago Chade, onde fica a tríplice fronteira com Chade e Níger.

Um relatório de fevereiro de 2020 divulgado pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas diz que o Iswap tem entre 3,5 mil e 5 mil combatentes. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA