UE vai financiar construção de novo campo de migrantes em Lesbos

Itália participará de ação para receber menores desacompanhados

Migrantes que estavam em Moria ficaram desabrigados após incêndio (foto: EPA)
08:36, 11 SetBRUXELAS ZGT

(ANSA) - A União Europeia informou que está pronta para "financiar um novo campo mais moderno" de refugiados na ilha grega de Lesbos, após um incêndio destruir o campo de Moria na noite do dia 8 de setembro. O local abrigava cerca de 13 mil pessoas.

"A UE está pronta não só para financiar e apoiar a construção dessa nova estrutura, mas também considerar qualquer solicitação grega para ter um papel mais ativo na gestão dessa nova estrutura", disse o vice-presidente executivo da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, nesta sexta-feira (11).

Segundo o representante europeu, haverá uma reunião ainda nesta sexta com o primeiro-ministro da Grécia, Kyriakos Mitsotákis, sobre o tema.

"Moria não existe mais, mas deve servir como um forte lembrete para todos nós sobre o que deve mudar na Europa. Nas nossas políticas migratórias, precisamos ter uma maior solidariedade", pontuou.

Além disso, Schinas anunciou que, nas "próximas horas", navios financiados pelo bloco europeu atracarão em Lesbos para dar refúgio aos solicitantes de asilo "mais vulneráveis". Entre eles, estão cerca de 400 crianças e adolescentes que chegaram à Grécia pelo Mar Mediterrâneo desacompanhados.

Na tarde desta quinta-feira (10), a chanceler alemã, Angela Merkel, anunciou que seu país e que a França acolheriam cerca de 100 a 150 menores que estavam no campo de Moria. Na noite de ontem, o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, informou que os italianos "abraçarão a iniciativa pelos menores desacompanhados".

"Nós ofertamos a nossa solidariedade aos amigos gregos pela tragédia e estamos disponíveis a dar apoio. Em perspectiva, porém, precisamos evitar que possam ser repetidos episódios do gênero. Também nós estamos sofrendo muito, com os nossos centros de acolhimento lotados e estamos trabalhando. Mas, precisamos evitar que existam condições para evitar que se chegue aquilo", pontuou Conte durante uma reunião com os presidentes de países do Mediterrâneo (Med-7).

De acordo com um comunicado publicado pelo ministro do Interior da Alemanha, Horst Seehofer, nesta sexta, serão 10 os países da União Europeia que aceitaram receber os adolescentes e as crianças migrantes.

- Campo de Moria:

O incêndio que destruiu o campo de refugiados de Moria foi iniciado no dia 8 de setembro após um grupo de migrantes se revoltar com os resultados dos testes para o novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Cerca de 35 deles teriam resultado positivos, segundo a mídia grega.

As chamas destruíram toda a estrutura de abrigo e os migrantes ficaram na beira das estradas de acesso durante a noite e madrugada do dia 9 de setembro. O governo grego declarou situação de emergência para toda a ilha por quatro meses. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA