Presidente de Belarus toma posse em cerimônia secreta

O país enfrenta uma grande crise política e social

Lukashenko é presidente de Belarus desde 1994
Lukashenko é presidente de Belarus desde 1994 (foto: EPA)
17:34, 23 SetMOSCOU ZRS

(ANSA) - O presidente de Belarus, Aleksandr Lukashenko, prestou juramento e foi empossado para um sexto mandato em uma cerimônia secreta.

Lukashenko enfrenta grandes manifestações contra seu governo na capital Minsk e em diversas outras cidades do país desde que alegou vitória nas eleições de 9 de agosto. O chefe de Estado também fez poucas aparições em público.

De acordo com a mídia local, o site oficial de Lukashenko não fez nenhum anúncio sobre o evento e a cerimônia não foi transmitida ao vivo, provavelmente para evitar a concentração de manifestantes.

A oposição bielorrussa planeja convocar novas eleições após a posse secreta de Lukashenko.

"Jamais aceitaremos fraudes e convocaremos novas eleições. Estamos pedindo a todos que façam campanha até o fim", disse Pavel Latushko, um dos líderes da oposição, no Telegram.

Segundo a mídia local, o líder de 66 anos, no poder de Belarus desde 1994, assistiu a um dos protestos de seu helicóptero e descreveu os manifestantes como "ratos". Lukashenko desembarcou com um colete à prova de balas e carregando uma Kalashnikov.

O chefe de Estado buscou apoio do presidente da Rússia, Vladimir Putin, que lhe prometeu reforçar suas forças de segurança se necessário, além de um empréstimo de US$ 1,5 bilhão.

Sua principal rival da oposição, Svetlana Tikhanovskaya, está refugiada na Lituânia, mas alega que venceu a eleição presidencial. 

Repercussão -

Os Estados Unidos afirmaram que o país não reconhece Alexander Lukashenko como o presidente legítimo da Belarus. A informação foi revelada pelo porta-voz do Departamento de Estado americano, que ressaltou que as “eleições de 9 de agosto não foram livres nem justas”. 

“Os resultados anunciados foram fraudulentos e carentes de legitimidade”, disse o representante do governo de Donald Trump, enfatizando que “os Estados Unidos não podem considerar Alexander Lukashenko como o presidente legítimo da Belarus”.

Depois da posse secreta, diversos manifestantes saíram às ruas do país. A polícia local prendeu mais de 100 pessoas, segundo o movimento Viasna, grupo de defesa dos direitos humanos.

De acordo com relatos, as autoridades usaram canhões de água e gás lacrimogêneo em Minsk para dispersar os manifestantes. (ANSA)

   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA