Dinamarca quer abater visons após mutação do novo coronavírus

Centenas de casos de Covid no país estão relacionados ao animal

Dinamarca é uma das maiores produtoras de pele de vison do mundo
Dinamarca é uma das maiores produtoras de pele de vison do mundo (foto: Reprodução/Twitter)
14:41, 04 NovCOPENHAGEN ZRS

(ANSA) - A primeira-ministra da Dinamarca, Mette Frederiksen, afirmou nesta quarta-feira (4) que o governo pretende abater milhares de visons devido ao risco de mutações do coronavírus Sars-CoV-2.

Em uma entrevista coletiva, a premiê revelou que foi identificada uma mutação do novo coronavírus, que se espalhou para os humanos através dos visons. O ministro da Saúde dinamarquês, Magnus Heunicke, disse que metade dos 783 casos de Covid-19 no norte do país "estão relacionados" ao pequeno mamífero.

"O vírus que sofre mutação através dos visons pode representar um risco para a eficácia de uma futura vacina. É muito, muito sério", alertou Frederiksen.

A Dinamarca é uma das principais exportadoras de pele de vison do mundo, com cerca de 17 milhões de peles anualmente. Somente a cooperativa Kopenhagen Fur, é responsável por 40% da produção global deste mamífero.

Segundo o ministro da Agricultura do país nórdico, Mogens Jensen, ao menos 207 fazendas de vison foram infectadas. Ele ainda afirmou que o vírus se espalhou pelo oeste da península da Jutlândia.

O governo dinamarquês prometeu compensar os agricultores pelo abate dos visons. De acordo com estimativas, a operação pode custar até US$ 785 milhões.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a Dinamarca registrou 50.530 casos e 729 mortes.

Isolamento

Frederiksen também informou que 13 dos 20 membros do governo da Dinamarca estão isolados em decorrência da Covid-19.

Os políticos entraram em quarentena depois do teste positivo do ministro da Justiça, Nick Haekkerup, e de alguns deputados. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA