UE e Reino Unido estendem negociações sobre acordo pós-Brexit

Período de transição antes de rompimento termina em 31/12

Boris Johnson e Ursula von der Leyen durante reunião em 9 de dezembro, em Bruxelas
Boris Johnson e Ursula von der Leyen durante reunião em 9 de dezembro, em Bruxelas (foto: EPA)
14:58, 13 DezBRUXELAS ZLR

(ANSA) - O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, concordaram em estender para além deste domingo (13) as negociações a respeito do acordo comercial pós-Brexit.

O período de transição antes da saída definitiva do Reino Unido da UE termina em 31 de dezembro, mas os dois lados ainda estão longe de fechar um tratado de livre comércio que evite um rompimento traumático.

"Demos mandato para nossos negociadores continuarem as tratativas e ver se é possível alcançar um acordo", disseram Von der Leyen e Johnson em um comunicado conjunto, desta vez sem estabelecer um novo prazo.

Os dois líderes ainda afirmaram que tiveram um "construtivo e útil telefonema" neste domingo (13). "Apesar do cansaço de quase um ano de negociações, apesar do fato de que o prazo foi perdido várias vezes, nós dois pensamos que é responsável fazer mais um esforço", acrescentaram.

Brexit

A partir de 1º de janeiro, o Reino Unido não terá mais de respeitar regras europeias, embora a Irlanda do Norte mantenha uma espécie de status duplo.

Por um lado, Belfast permanecerá no território aduaneiro britânico e será incluída em qualquer futuro acordo comercial fechado por Londres. Por outro, será uma porta de entrada para a zona aduaneira europeia.

Ou seja, o governo do Reino Unido aplicará, em nome da UE, tarifas europeias sobre produtos estrangeiros que arrisquem entrar na República da Irlanda e, por consequência, no mercado comum do bloco. Não haverá aduanas na ilha, e todos os controles alfandegários serão feitos nos portos.

Além disso, a Irlanda do Norte continuará alinhada a um número limitado de regras europeias, inclusive no aspecto sanitário. Esse sistema vigorará até 31 de dezembro de 2024, nos quatro anos após o período de transição.

Ainda antes de 2025, a Assembleia da Irlanda do Norte decidirá por maioria simples se mantém ou não as regras da UE. O órgão poderá prorrogar o sistema vigente em votações a cada quatro ou oito anos, dependendo do percentual de aprovação. Se as regras europeias forem rejeitadas, elas deixarão de valer depois de dois anos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA