Países da UE começarão vacinação entre 27 e 29 de dezembro

Datas foram anunciadas pela presidente Ursula von der Leyen

Agência Europeia de Medicamentos está sob pressão para acelerar parecer sobre vacina da Biontech/Pfizer
Agência Europeia de Medicamentos está sob pressão para acelerar parecer sobre vacina da Biontech/Pfizer (foto: EPA)
08:57, 17 DezBRUXELAS ZLR

(ANSA) - A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou nesta quinta-feira (17) que a vacinação contra o novo coronavírus nos países do bloco começará entre 27 e 29 de dezembro.

A antecipação da imunização, que estava prevista para iniciar em janeiro, responde às crescentes pressões na União Europeia após o Reino Unido, que está de saída, ter dado a partida em sua campanha no último dia 8.

"É o momento da Europa. Em 27, 28 e 29 de dezembro, a vacinação vai começar em toda a UE. Protegemos nossos cidadãos juntos. Somos mais fortes juntos", disse Von der Leyen no Twitter.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) tem reunião marcada para 21 de dezembro para dar seu parecer sobre o imunizante da Biontech/Pfizer, que já está em uso no Reino Unido, nos EUA e no Canadá.

Em caso de posicionamento positivo, a Comissão Europeia, poder Executivo do bloco, deve aprovar o registro em até dois dias. Inicialmente, a reunião estava agendada para 29 de dezembro, mas a EMA antecipou a data em meio a pressões de países como Alemanha e Itália.

"Todos os dados da Biontech estão disponíveis, Reino Unido e Estados Unidos já deram sua aprovação. A revisão dos dados e a aprovação da EMA precisam ocorrer o quanto antes", disse o ministro alemão da Saúde, Jens Spahn, no último domingo (13).

A UE já assegurou a compra de 200 milhões de doses da vacina, mas com possibilidade de aumentar a cifra para 300 milhões. O imunizante usa a inovadora tecnologia de RNA mensageiro (mRNA), sequência genética sintética que codifica a proteína spike, espécie de "casca de espinhos" utilizada pelo coronavírus Sars-CoV-2 para atacar as células humanas.

Ao entrar no organismo, esse mRNA instrui as células a produzirem a proteína, que será reconhecida como agente invasor pelo sistema imunológico e combatida com anticorpos que, mais tarde, servirão para enfrentar uma eventual infecção pelo novo coronavírus.

Esse imunizante, no entanto, precisa ser mantido a -70°C para garantir sua eficácia de 95%. A Biontech e a Pfizer já informaram que trabalham em uma "segunda geração" da vacina que possa ser conservada em temperaturas normais de refrigeração. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA